Províncias

Quibala tem mercado rural

Casimiro José| Quibala

Um mercado rural, com 280 bancadas, baptizado com o nome de “Maria Kitata”, entrou ontem em funcionamento na vila da Quibala, sede do município com o mesmo nome, e vai comercializar produtos agrícolas em condições mais higiénicas e dignas.

Produtos vendidos em melhores condições
Fotografia: Casimiro José| Quibala

De iniciativa privada, o mercado construído pela empresa Socomul, numa área de três mil hectares, está orçado em 45 milhões de kwanzas e foi inaugurado pelo administrador municipal da Quibala, Manuel Franscisco Fernando.
 Além das bancadas, o mercado dispõe de lanchonetes, quartos de banho, área administrativa e um vasto parque de estacionamento. Antes, os produtos eram comercializados sem as mínimas condições higiénicas. O proprietário da empresa Socomul, Lda, Van-Dúnem Alberto, disse que a construção do mercado na região enquadra-se nos esforços do Executivo, com base no programa da diversificação da economia, referindo que o mercado deve contribuir para a geração de renda das famílias, mas também tornar-se num centro de negócios.
Van-Dúnem Alberto garantiu que a construtora vai apostar mais na criação das competências junto das comunidades, como premissa para reduzir a fome e a pobreza no seio das famílias.
O administrador municipal da Quibala, Manuel Francisco Fernando, recordou que o mercado surge em resposta às solicitações das vendedoras, sublinhando que se trata de uma praça que se situa num eixo rodoviário com muito movimento e que liga o norte, centro e sul do país.“A construção deste mercado, de iniciativa privada, consideramos ser uma acção estratégica, pois constitui uma paragem obrigatória de todos os que se deslocam do norte para o centro e sul do país”, reconheceu, tendo solicitado mais investidores nos diferentes ramos, visando desenvolver o município da Quibala.
Manuel Francisco Fernando salientou ser este o momento dos investidores privados juntarem-se aos esforços  do Executivo com ideias e planos para a criação de condições para o bem-estar das populações.
Com o funcionamento do mercado, disse, os produtos agrícolas produzidos na região, como cereais, tubérculos, oleaginosas, frutas, legumes e outros vão ser vendidos dentro dos padrões modernos.

Tempo

Multimédia