Províncias

Quilenda conta com novas estruturas sociais

Casimiro José | Quilenda

A localidade da Quilenda, sede administrativa do município com o mesmo nome, assinalou, no dia 14, o 46º aniversário de elevação a vila, com separação do então concelho do Amboim, em 1965.

O município tem vários espaços turísticos à espera de investimentos para melhorar a ocupação dos tempos livres da população
Fotografia: Jornal de Angola

A localidade da Quilenda, sede administrativa do município com o mesmo nome, assinalou, no dia 14, o 46º aniversário de elevação a vila, com separação do então concelho do Amboim, em 1965.
Várias infra-estruturas sociais construídas sobretudo no quadro dos programas integrados de desenvolvimento rural e de combate à pobreza e dos cuidados primários de saúde são visíveis na Quilenda, onde o esforço combinado entre a administração e a população promete dias melhores.
A imagem da vila é bastante diferente de há alguns anos, principalmente o estado das vias de comunicação, umas já reparadas, outras e beneficiarem de melhoramentos.
A terraplanagem do troço, de 43 quilómetros, entre Quilenda e Gabela é tida como o “ponto de partida” para outras realizações de maior vulto.
A circulação de pessoas e bens entre as várias localidades do município é feita sem grandes contratempos e nota-se razoável movimento de viaturas e de motociclos.
A administração reparou as vias secundárias que ligam a sede municipal à comuna do Quirimbo e ao sector da Xariaia, o que permite trocas comerciais e o escoamento dos produtos do campo para os centros de consumo.
A administradora da Quilenda disse, ao Jornal de Angola, estar satisfeita com a evolução da vila e que há “um vasto programa que consiste na construção de mais infra-estruturas sociais e económicas para responder aos anseios da população”.
Maria Monteiro afirmou que, no âmbito do programa integrado de desenvolvimento rural e de combate à pobreza, foram traçados, para o biénio 2011/2012, um total de 27 projectos ligados à construção e reabilitação de escolas e recuperação das vias secundárias e terciárias e pontecos.
Outros 17 projectos para a expansão da rede sanitários, referiu, também foram elaborados no âmbito dos cuidados primários de saúde. O município tem nove postos de saúde devidamente equipados, quando há três anos tinha três e um centro de saúde.
Quanto a pessoal, dispõe de dois médicos e de 61 enfermeiros.
 
Água potável

A administradora declarou que o abastecimento de água potável à vila e aos arredores melhora dentro de pouco tempo com a conclusão da obra do novo sistema de captação, tratamento e distribuição, mais uma acção do programa integrado de desenvolvimento rural e de combate à pobreza.
 “O actual sistema de abastecimento, instalado na época colonial, já não responde as necessidades dos cerca de 12 mil habitantes da sede e dos arredores devido a sua caducidade”, disse.
Face á situação, lamentou, a população abastece-se nos riachos e cacimbas, o que propicia o surgimento de diarreias, febres tifóides e doenças respiratórias agudas.  “Com a conclusão do sistema de captação e distribuição, o impacto vai ser imediato, pois as doenças resultantes do consumo de água imprópria vão diminuir”, referiu.
A administradora revelou que já foi pedido ao governo provincial e ao Ministério da Energia e Água que seja instalada uma linha de média tensão que permita o fornecimento de electricidade a partir da subestação da Gabela.

Energia eléctrica

Até que o desejo se concretize, a vila é abastecida por dois grupos geradores, o que acarreta avultados gastos com a aquisição de combustível e de lubrificantes. Maria Monteiro disse haver projectos para o asfaltamento das ruas da vila e a instalação de agências bancárias para facilitar as transacções comerciais e o pagamento dos ordenados.
Quilemba, com 2.439 quilómetros e 99.400 habitantes, além da comuna sede, tem a do Quirimbo e o posto administrativo da Xariaia.

Tempo

Multimédia