Províncias

Reconstrução melhora imagem da Conda

Casimiro José| Sumbe

A sede do município da Conda, província do Kwanza-Sul, está a ganhar outra imagem, com a execução de projectos de âmbito social, enquadrados no programa municipal integrado de desenvolvimento rural e combate à fome e pobreza, financiado pelo Governo Provincial.
O município da Conda é potencialmente rico, mas a sua população ainda não usufrui das suas riquezas porque a exploração está condicionada à existência de meios técnicos e de recursos financeiros.

Reparação de passeios e outras obras de impacto social em curso estão a dar outro aspecto à sede municipal da Conda e arredores
Fotografia: Casimiro José| Sumbe

A sede do município da Conda, província do Kwanza-Sul, está a ganhar outra imagem, com a execução de projectos de âmbito social, enquadrados no programa municipal integrado de desenvolvimento rural e combate à fome e pobreza, financiado pelo Governo Provincial.
O município da Conda é potencialmente rico, mas a sua população ainda não usufrui das suas riquezas porque a exploração está condicionada à existência de meios técnicos e de recursos financeiros.
A sua localização geográfica e estratégica fez do município da Conda uma zona de disputa durante a guerra e, por essas circunstâncias, muitas acções que visavam o seu crescimento e desenvolvimento foram obstruídas.
Alcançada a paz, em 2002, a Administração Municipal e o Governo Provincial desenvolveram programas para a sua recuperação, sobretudo as vias de acesso, para atrair investidores.
Mas outros obstáculos, decorrentes da crise financeira, causaram a paralisação de muitos projectos. Com a recepção, em finais de Março, da primeira tranche de fundos do pacote financeiro programado para o corrente ano, as autoridades do município arregaçaram as mangas e estão empenhadas em mudar o actual quadro.

Equipamentos sociais

A guerra arrasou quase todos os domínios da vida social e económica na sede municipal da Conda e nas comunas, deixando quase tudo inoperante. Hoje a realidade é completamente diferente, para orgulho dos seus habitantes e de pessoas que para lá se deslocam.
A administração municipal da Conda traçou um vasto programa que compreende 24 acções, das quais sete estão em execução, visando responder às necessidades da população da região.
A vila transformou-se num verdadeiro canteiro de obras.
O administrador-adjunto, Germano Armando, disse à nossa reportagem que das acções em execução constam a reabilitação do palácio municipal da Conda, a escola primária na sede municipal e a construção de outra escola para o segundo ciclo.
Das obras em execução, constam ainda a construção de um parque infantil, a reparação do cemitério municipal, a reabilitação do sistema de distribuição de água potável e da rede de distribuição da corrente eléctrica pública.
Germano Armando garantiu que a energia eléctrica na Conda chega a casa dos munícipes, diariamente, das 18 às zero horas, fornecida por um gerador de 350 KVA adquirido pela administração, através do fundo de gestão municipal.
Este ano, a Administração Municipal vai adquirir um grupo gerador de 500 KVA para alargar a rede de distribuição domiciliária.

Reparação das estradas

O município da Conda está a beneficiar da reparação das principais vias que o ligam à Gabela, município do Amboim e ao do Seles, no quadro do programa de reconstrução nacional.
O responsável municipal disse que as empreitadas decorrem a um ritmo acelerado e, a partir daí, os vários projectos até aqui adiados vão ser concluídos.
Os sectores da educação e saúde enfrentam dificuldades, à semelhança de outras localidades da província e do país. Para dar respostas às necessidades, a administração municipal já tem as prioridades identificadas.
O sector de educação, segundo o administrador, está a beneficiar de obras de reabilitação nas escolas, aquisição de equipamentos e o recrutamento de novos professores, através de concursos públicos.
A rede escolar é constituída por 27 escolas, das quais 12 de carácter definitivo. No presente ano lectivo, 17.360 alunos, da iniciação ao ensino médio, encontram-se matriculados. O processo de aprendizagem é garantido por 547 professores. Apesar dos progressos efectuados e dos esforços, ainda estão fora do sistema de ensino quatro mil crianças. O sector da saúde também enfrenta dificuldades. A falta de ambulâncias, equipamentos de radiologia e cirurgia e de um centro de aconselhamento e testagem voluntária da Sida (CATV), fazem parte das necessidades do sector.
A rede sanitária tem 19 unidades, entre as quais um hospital municipal com 45 camas de internamento, um centro materno-infantil e um corpo clínico integrado por três médicos e 37 enfermeiros dos vários escalões.
O município da Conda beneficia do programa de luta contra a malária, numa parceria entre o Executivo e a organização não governamental "Africare", que levam a cabo um programa de distribuição de mosquiteiros impregnados e sessões de esclarecimentos sobre as medidas preventivas.

Investimentos privados

O administrador-adjunto, Germano Armando, disse ao Jornal de Angola que a intervenção do sector privado é ainda tímido, devido ao avançado estado de degradação das vias que dão acesso á comuna e aos postos administrativos com potencialidades agro-pecuárias. Mas existem iniciativas de alguns empresários ligados ao ramo agrícola.
O turismo é outra aposta das autoridades da Conda, pois, a inoperatividade de muitos centros turísticos da região está a redundar em grandes prejuízos.
Germano Armando garantiu que o Executivo aprovou um pacote de 20 milhões de Kwanzas para a primeira fase de reabilitação do centro turístico da "Tocota", o que lhe vai conferir uma imagem mais atraente e dispor de condições condignas.
Com uma população estimada em 80 mil habitantes, o município da Conda tem um território com uma superfície superior a dois mil quilómetros quadrados.
Administrativamente compreende duas comunas, a sede e o Cunjo, e duas áreas administrativas, Assango II e Jombe.

Tempo

Multimédia