Províncias

Reforçado o combate à malária na região

Carlos Bastos | Sumbe

A empresa nacional de consultoria, gestão e administração em saúde (Consaúde) pretende reduzir o índice de mortalidade por malária na província do Kwanza-Sul, através da execução de um programa integrado de combate à doença.

População é aconselhada a procurar as unidades sanitárias logo após os primeiros sintomas da doença para evitar complicações
Fotografia: Jornal de Angola

O projecto visa a diminuição da mortalidade infantil e das grávidas, por serem a população mais afectada pela malária.
 O coordenador do projecto para a redução da malária no Kwanza-sul, Paulo Neto, que falava no encerramento da formação sobre estatística, informação para a saúde e técnicos de farmácia, destacou a consolidação da aptidão prática dos quadros do Ministério da Saúde em unidades sanitárias, como prioridades do Executivo, com vista à luta eficaz contra a malária na região.
Paulo Neto disse que a execução do programa na província vai aperfeiçoar as competências operacionais dos serviços dos hospitais, centros e postos médicos nas áreas de estatística e dos técnicos de farmácia, através de análise de qualidade sobre casos de paludismo.
Paulo Neto referiu que a Consaúde tem vindo a defender a segurança em saúde e a cooperar na melhoria e execução das políticas sanitárias nas comunidades, de forma segura e inovadora.  A empresa e tem como objectivos reduzir a mortalidade por malária, melhorar a qualidade de diagnóstico, tratamento e prevenção da doença.
Durante a formação, que durou três dias, os técnicos de saúde abordaram, as técnicas de recolha de dados e a importância da estatística em informação de saúde, preenchimento do relatório mensal da malária, planificação distribuição, armazenamento e organização de medicamentos. O chefe do departamento des recursos humanos da direcção da Saúde no Kwanza-Sul, Henrique Silvestre, referiu que o apoio prestado pela Consaúde na província tem sido indispensável, no que toca à assistência técnica e formação dos quadros de saúde, com vista à melhoria da qualidade dos técnicos nas suas áreas de influência.
Henrique Silvestre encorajou os quadros de saúde a aplicarem o que aprenderam durante a formação, para que o seu desempenho seja melhor. Participaram na formação 21 técnicos fiéis de armazém e técnicos de farmácia além de17 técnicos de estatística e informação, dos 12 municípios da província.
A formação é da responsabilidade da Consaúde em parceria com a Direcção Provincial de Saúde e teve como finalidade aumentar a disponibilidade e acessibilidade aos serviços de luta contra a malária, através do fortalecimento do sistema de saúde.

Tempo

Multimédia