Províncias

Região com olhos postos no desenvolvimento

Casimiro José | Gabela

A cidade da Gabela, sede do município do Amboim, tornou-se nos dias de hoje um ponto atractivo de turistas nacionais e estrangeiros, fruto dos investimentos feitos pelo Executivo, no quadro dos programas Municipais Integrados de Desenvolvimento Rural, de Combate à Pobreza e dos Cuidados Primários de Saúde, disse, ontem, o administrador municipal do Amboim.

Uma vista da cidade da Gabela que nos dias de hoje constitui um ponto atractivo para os turistas
Fotografia: Casimiro José | Gabela

A região celebrou 54 anos da sua elevação à categoria de cidade, no longínquo ano de 1962, por ordem do português Venâncio Augusto. Reza a Historia que a origem do nome Gabela provém de Nguebela, que na língua local significa refúgio ou esconderijo.
Na Gabela são visíveis os ganhos em quase todos os sectores, o que permitiu a melhoria das condições de vida das populações. Ainda assim várias acções estão em curso, como a reabilitação construção de infra-estruturas sociais, como escolas, centros e postos médicos, e outros que garantem a estabilidade de uma cidade em franco crescimento.
O administrador municipal do Amboim, Francisco Manuel Mateus, perspectiva um futuro melhor e garante que em breve à cidade da Gabela vai voltar a ocupar a sua hegemonia dos tempos idos. “Vamos continuar a trabalhar no sentido de elevarmos a região nos altos patamares, uma tarefa que passa pela conjugação de sinergias, entre a administração municipal e os munícipes”, frisou. Francisco Manuel Mateus disse que a celebração serviu para um momento de reflexão e lembrou que no quadro das acções o sector social constitui uma das prioridades para o presente e o futuro, dando primazia o melhoramento do casco urbano da cidade.
“Felizmente identificámos os grandes problemas que estão a criar embaraços no ordenamento da cidade da Gabela. Refiro-me aos edifícios degradados que, mesmo sendo pertença das pessoas, carecem de manutenção, situação preocupa as autoridades”, disse o administrador municipal do Amboim.
Para melhor garantir uma qualidade de vida às populações, a Administração Municipal do Amboim elaborou um programa para atrair investidores para o sector da indústria transformadora.

Serviços sociais


A água potável continua a ser ainda um problema, mas o administrador municipal garantiu ao Jornal de Angola o melhoramento do produto, nos próximos tempos, com a substituição do actual sistema de captação, tratamento e distribuição, que na época foi concebido para atender apenas cinco mil habitantes.
Para o efeito, disse Francisco Manuel Mateus, já foi aprovado pelas estruturas centrais um programa de construção de um outro sistema de distribuição de água para atender 120 mil habitantes.
A cidade da Gabela dispõe de um Hospital Municipal, de carácter regional. Recebe doentes dos municípios limítrofes, como Ebo, Conda e Quilenda. Uma outra unidade sanitária municipal com múltiplas valências funciona na Boa Entrada (EX-CADA), além de seis centros de Saúde. Os serviços sanitários é assegurado por 13 médicos, dois dos quais nacionais, 12 expatriados e 175 enfermeiros.
O sector da Educação na cidade da Gabela esta bem servido. Conta com uma escola do II Ciclo do ensino secundário, magistério primário e outras escolas do I Ciclo e do ensino primário. Com esforços da Administração do Município, no ano passado foi implantado um núcleo do Instituto Superior Politécnico de Porto Amboim, para permitir que os jovens e funcionários públicos locais elevem o seu nível académico, sem precisar se deslocar para outros municípios.

Dinamização do sector hoteleiro

Francisco Manuel Mateus disse que a rede hoteleira da cidade da Gabela necessita de um grande  impulso, a julgar pela sua localização geográfica e, para tal, referiu ser importante haver um maiores investimentos nesta área. “Temos um défice em termos de hotéis e a cidade da Gabela precisa crescer mais neste domínio, porque as potencialidades turísticas da região, aliado ao seu clima húmido, pode atrair mais turistas. Para isso, estamos abertos aos investidores que queiram contribuir para o desenvolvimento do sector", salientou.

Mais investimentos

Apesar dos factores conjunturais, os munícipes da cidade da Gabela acreditam num futuro  promissor, a julgar pelos investimentos que estão ser feitos nos vários domínios e admitiram que as acções em curso demonstram o desejo de o Executivo ver melhorado a condição de vida das populações.
António de Oliveira, natural da Gabela, considerou positivo o actual nível de desenvolvimento da cidade, com os investimentos que estão a ser feitos que, de certeza, orgulha a todos filhos da terra, mas, por outro lado, manifestou-se preocupado com a saída
de jovens para outras paragens, em busca de um emprego ou continuidade dos estudos, porque o município não dispõe ainda de grandes condições.  António Pancrácio, também nato da Gabela, solicitou ao Executivo a implementar projectos que respondam os anseios da juventude, na componente ocupacional, em actividade geradoras de rendimentos, prática desportiva e cultural.

Tempo

Multimédia