Províncias

Registados casos suspeitos de sarampo

O Departamento Provincial de Saúde Pública e Controlo de Endemias do Cuanza Sul notificou, de Janeiro a Março, cerca de 40 casos suspeitos de sarampo, avançou sexta-feira a supervisora provincial de epidemiologia.

Teresa Joaquim disse que houve um aumento de 15 casos em relação a igual período anterior, tendo acrescentado que os 40 casos estão sob controlo dos serviços de saúde da província.
A responsável sanitária salientou que, apesar de se tratar de casos esporádicos, os pacientes são atendidos imediatamente nas unidades sanitárias da província. A supervisora considera ser preciso que os enfermeiros das unidades sanitárias estejam atentos, para que possam diagnosticar os casos suspeitos de sarampo imediatamente, com vista a evitar que a doença se torne uma epidemia na província.
Teresa Joaquim disse que foram registados 11 casos a nível do município do Sumbe, igual número no Libolo, na Quibala (cinco), Mussende (quatro), Cela (sete) e em Cassongue (dois).
A supervisora provincial sublinhou que as amostras foram enviadas para os laboratórios de Luanda e, neste momento, aguarda-se pelos resultados.
A grande preocupação reside na falta de vacina de bloqueio da doença. Por isso, a responsável solicitou às entidades de direito no sentido de enviarem estes bens à província do Cuanza Sul, tendo em conta os casos registados.
O sarampo é uma doença viral que ataca o sistema respiratório.
A doença é muito contagiosa e afecta principalmente crianças. É transmitida através de gotículas expelidas pelo nariz, boca ou garganta de pessoas infectadas.
Os sintomas iniciais, que geralmente aparecem oito a 12 dias após a infecção, incluem febre alta, olhos vermelhos e pequenas manchas brancas na parte interna da boca. Dias depois, há uma erupção da pele, que geralmente começa no pescoço, na face e gradualmente se espalha pelo corpo, segundo a supervisora provincial de epidemiologia.

Tempo

Multimédia