Províncias

Responsáveis da Saúde no Kwanza-Sul traçaram novas estratégias de actuação

Casimiro José | Sumbe

A chefe do departamento provincial do Kwanza-Sul de Saúde Pública, Maria Lussinga, anunciou que a nova abordagem no processo de vacinação contra a poliomielite traz novidades no recrutamento dos vacinadores a partir das localidades de vacinação e o envolvimento dos líderes comunitários, na planificação e composição das brigadas de vacinação.

Responsáveis do sector não se têm poupado a esforços para continuar a livrar as crianças do vírus da pólio através da vacinação
Fotografia: Casimiro José | Sumbe

A chefe do departamento provincial do Kwanza-Sul de Saúde Pública, Maria Lussinga, anunciou que a nova abordagem no processo de vacinação contra a poliomielite traz novidades no recrutamento dos vacinadores a partir das localidades de vacinação e o envolvimento dos líderes comunitários, na planificação e composição das brigadas de vacinação.
Maria Lussinga fez estas declarações num encontro realizado ontem, na cidade do Sumbe, pelo departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias, com o objectivo de fazer esclarecimentos sobre a nova abordagem das campanhas de vacinação contra a poliomielite, visando optimizar a cobertura da vacina na província.
Durante a apresentação sumária da nova estratégia do programa de vacinação, adoptada pelo Ministério da Saúde, Maria Lussinga considerou satisfatórios os níveis de cobertura de vacinação alcançados nas campanhas anteriores e é de opinião que a nova abordagem vai permitir multiplicar as taxas actuais. Fazendo um balanço sobre a evolução epidemiológica, a chefe de departamento de Saúde Pública fez uma avaliação positiva quanto ao controlo da pólio na província do Kwanza-Sul, sublinhando que, em 2010, foram diagnosticados na província 30 casos e que no ano passado o número de casos notificados baixou para cinco.
 De acordo com a responsável de Saúde Pública e Controlo de Endemias, a redução de casos deveu-se ao empenho das autoridades sanitárias e das próprias comunidades.
 Lembrou que a campanha de vacinação contra a poliomielite, este ano vai compreender três fases: a primeira já este mês, a segunda em Março e a última em Junho. Maria Lussinga considera a colaboração das comunidades como uma fas principais chaves para o sucesso.
“O plano de vacinação no Kwanza-Sul precisa da cooperação dos pais e encarregados de educação e não é comum o que se verifica em algumas localidades, onde se denota a falta de interesse durante as campanhas de vacinação. Pedimos que haja consciência de que vacinar as crianças é garantir saúde às futuras gerações”, referiu.  O encontro foi dirigido pela vice-governadora para o sector político e social, Fernanda Cabral de Almeida, e contou com a presença de membros da comissão coordenadora provincial de vacinação, administradores municipais, representantes de Organizações Não Governamentais, que intervêm no sector da saúde e convidados.

Tempo

Multimédia