Províncias

Sector da Saúde foi reforçado com centenas de especialistas

Casimiro José | Sumbe

A Escola Técnica Provincial de Saúde Pública do Kwanza-Sul colocou sábado, no mercado de emprego, 247 técnicos básicos, formados nas especialidades de enfermagem geral, laboratórios de análises clínicas e radiologia.

Foram também formados técnicos de laboratórios de análises clínicas e radiologia
Fotografia: José Casimiro | Sumbe

A Escola Técnica Provincial de Saúde Pública do Kwanza-Sul colocou sábado, no mercado de emprego, 247 técnicos básicos, formados nas especialidades de enfermagem geral, laboratórios de análises clínicas e radiologia.
Os técnicos frequentaram o 17º curso, que encerrou com um acto presidido pela vice-governadora para o sector político e social, Fernanda Cabral de Almeida.
 Com duração de 30 meses, a formação teve componentes teóricas e práticas, com 53 disciplinas, que abordaram a anatomia e fisiologia humana, técnicas de enfermagem, assistência materno-infantil, parasitologia, serologia, imunologia, microbiologia, técnicas e introdução à radiologia, física de RX e câmara escura.
Os técnicos de saúde aprenderam também matérias sobre anatomia e sociologia humana, deontologia e psicologia de enfermagem, gestão sanitária, urologia, parasitologia, imunologia e bioquímica.
O director da Escola Técnica de Saúde Pública, Crisóstomo Firmino, fez uma avaliação positiva do curso. Os resultados alcançados pelos técnicos nas vertentes curriculares e nos estágios efectuados nas instituições sanitárias foram excelentes.
Crisóstomo Firmino disse que apesar dos bons resultados do 17º curso, a inserção dos técnicos no mercado de trabalho, que vão frequentar ainda um estágio adicional de seis meses, está a depender dos concursos públicos.
Crisóstomo Firmino considera que o estágio adicional, que acontece fora da sede da província, é uma oportunidade dos recém-formados adquirirem competências profissionais, nas condições adversas da profissão e pediu uma maior colaboração dos responsáveis do sector, nos municípios, para um acompanhamento rigoroso.
Os estágios adicionais, informou Crisóstomo Firmino, vão ocorrer nos hospitais municipais do Sumbe, Amboim, Porto Amboim, Libolo, Waku-Kungo e Seles, por serem os que possuem os serviços funcionais.
O director da escola está preocupado com as dificuldades enfrentadas durante a formação, principalmente as questões financeiras, uma vez que a instituição, apesar ser uma unidade orçamentada, nunca foi contemplada com a dotação financeira a que tem direito.
“A situação está a criar sérios constrangimentos funcionais, fundamentalmente na componente de subsídios aos docentes, que há dois anos, vivem sem usufruírem dos seus direitos”, lamentou.

Tempo

Multimédia