Províncias

Sector dos Petróleos enriquecido com mais técnicos

Manuel Tomás e Luís Pedro| Sumbe

O Instituto Nacional de Petróleos (INP) colocou no ano passado no mercado de emprego no ramo da indústria petrolífera 149 técnicos especializados nos cursos de perfuração e produção petrolífera, geologia e minas e manutenção industrial.

Director do INP Domingos Francisco
Fotografia: Manuel Tomás

O Instituto Nacional de Petróleos (INP) colocou no ano passado no mercado de emprego no ramo da indústria petrolífera 149 técnicos especializados nos cursos de perfuração e produção petrolífera, geologia e minas e manutenção industrial. Este ano lectivo estão matriculados mais de 500 alunos no ensino médio, que vão frequentar as várias especialidades.
Situado 13 quilómetros a norte da cidade do Sumbe, o Instituto Nacional de Petróleos (INP) está vocacionado para a formação de técnicos nacionais e oriundos de países da Comunidade de Desenvolvimento de África Austral (SADC) que aprendem especialidades da indústria petrolífera, mineira e do desenvolvimento sustentado.
 O Instituto Nacional de Petróleos resultou da fusão do Instituto Médio de Petróleos e da Escola Central de Petróleos e é uma escola especializada na formação de técnicos médios e trabalhadores qualificados para o ramo petrolífero, visando a angolanização do sector.
Desde a sua fundação, em 1981, até 2008, formou 1.790 profissionais angolanos saídos das empresas petrolíferas e 1.111 técnicos médios, nas especialidades de geologia de prospecção, perfuração e produção, geologia e minas, mecânica e na tecnologia submarina.
A única instituição de formação na indústria petrolífera no país, de 1981 a 2007 formou 120 estudantes dos Países da SADC, sendo 54 da Tanzânia, 34 de Moçambique, dez vindos de São Tomé e Príncipe e nove de Botswana. 

Ensino de qualidade

Depois de uma visita guiada à instituição, o director-geral do Instituto Nacional de Petróleos, Domingos Francisco, deu a conhecer que para permitir um ensino com qualidade, o estabelecimento está a ser requalificado. Os trabalhos consistem na criação de áreas de lazer para docentes e alunos, jardinagem em toda extensão da escola e restauro da maior parte das suas dependências.Domingos Francisco disse também que estão a ser melhoradas a biblioteca, as salas de aulas e os dormitórios, que se encontravam em estado avançado de degradação. As obras abrangem as oficinas didácticas e a construção de uma nova onde vão ser instalados novos equipamentos de ponta recentemente adquiridos.
Para breve aguarda-se a recepção de mais equipamentos no quadro do projecto da Reforma do Ensino Técnico Profissional (RETEP) a ser executado pelo Ministério da Educação, o programa prevê a introdução da cadeira de formação de atitudes integradoras. No âmbito daquele projecto, no ano passado foram instalados laboratórios de práticas oficinais, física, química básica e de informática, ao passo que da cooperação com o RKK da Noruega se montou um laboratório de hidráulica.
Para o presente ano lectivo a instituição está a construir novos laboratórios de instrumentação, química, geologia, perfuração e produção, refinação e gás, outros simuladores e estão a ser feitos esforços para a instalação de um laboratório multimédia destinado ao ensino das ciências e da língua inglesa.
O director geral do INP, Domingos Francisco, considerou positivo o trabalho efectuado no ano transacto (ainda em curso), devido ao apoio recebido do ministério de tutela tendo dado como exemplo a assinatura de um protocolo de entendimento com a Noruega em que este país prevê criar cursos de operadores depois dos candidatos terminarem a formação média.
Uma das preocupações do Instituto é a certificação internacional dos cursos de formação profissional e “isto passa pela certificação dos professores, dos equipamentos disponíveis e dos cursos a ministrar”, frisou. 
 
Corpo docente do Instituto

As aulas no INP são asseguradas por 60 docentes nos níveis do ensino médio e na formação profissional. Domingos Francisco disse que “o número é suficiente, mas a qualidade não é a desejada” daí que se optou pela sua reciclagem no exterior.
Presentemente, 13 professores encontram-se no Brasil a receber conhecimentos nas especialidades de mecânica, geologia, refinação, perfuração e refinaria.
“Outros cinco embarcaram para a Namíbia para estudar as disciplinas de segurança e meio ambiente e aperfeiçoar a língua inglesa, que é fundamental no ensino das geo-ciências ”, esclareceu. Através das bolsas de estudo e para colmatar a falta de professores na instituição, está a ser feito o recrutamento dos melhores alunos que terminam a sua formação profissional e posteriormente são encaminhados para conceituadas universidades no exterior onde continuam a formação.
O quadro de pessoal do instituto é de 230 trabalhadores e muitos estão já na fase da reforma, daí a necessidade de recrutar novos trabalhadores, mas esta situação depende da aprovação do novo estatuto.

Educadores sociais

Os casos de indisciplina dos alunos que frequentemente se registavam no INP foram reduzidos devido a medidas profilácticas. Foram recrutados educadores sociais que trabalham no sentido da socialização dos alunos, além de ministrarem noções de convivência salutar sem indisciplina e para preservar o património da escola.
De acordo com o director-geral do INP, no ano passado registaram-se dez casos de indisciplina contra 150 dos anos anteriores, esta redução deveu-se às medidas que têm sido tomadas, por isso foi recrutada uma empresa de segurança que garante a ordem e foi igualmente criada uma comissão disciplinar.
Domingos Francisco acrescentou que se verifica com frequência a destruição do património da escola como guarda-fatos, cacifos, colchões, camas, aparelhos de ar condicionado e para a sua reposição no início de cada ano lectivo são gastos cerca de 250 mil dólares.
Os pais e encarregados de educação anteriormente comparticipavam de forma simbólica com 100 dólares, importância que a partir deste ano lectivo vai acrescer e cujo valor vai ser oportunamente anunciado.  
 
Instalações melhoradas

O responsável do INP disse que está a ser dada uma maior atenção às áreas de serviço, por isso no domínio das infra-estruturas as acções incidem no melhoramento da lavandaria, das condições de alojamento e habitabilidade dos alunos, das condições de estudo e a construção de um novo dormitório para melhor acomodação dos estudantes. Vai ser construído um edifício de 20 salas para laboratórios.
O refeitório está a receber trabalhos de restauro e vai receber novos equipamentos de cozinha para oferecer uma alimentação com qualidade.
Domingos Francisco disse que o fornecimento da energia eléctrica conhece nos próximos dias melhorias significativas com a reposição da linha a partir da hidroeléctrica de Cambambe (Kwanza-Norte).
A assistência médica e medicamentosa é assegurada por um posto médico reabilitado e ampliado para corresponder às necessidades da população estudantil e trabalhadores. Tem laboratório de análises clínicas, farmácia, consultório e sala de internamento com capacidade para 20 pacientes.

Plano de acção

O director-geral do INP sugeriu que com as actuais condições existentes em termos de infra-estruturas, laboratórios devidamente apetrechados e demais factores, prevê-se criar cursos superiores técnicos ao nível de bacharelato, mas este assunto está em estudo.
Constam das acções a definição e aprovação do novo estatuto orgânico e do manual de organização, instalação de 18 laboratórios num novo edifício e construção de um ginásio de exercícios físicos.
Um campo de jogos polivalente para a prática de andebol, basquetebol, voleibol e futebol salão, equipado com bancadas de estrutura metálica, outro para o futebol, piscina, apetrechamento da clínica com equipamento de raios X e estomatologia, elaboração do ante-projecto e projecto das futuras instalações dos cursos superiores técnicos e aprovação, estão contemplados no plano. 

Tempo

Multimédia