Províncias

SIMPROF reconhece esforços do Governo na melhoria das condições dos professores

Carlos Bastos| Sumbe

O presidente do Sindicato Nacional dos Professores Angolanos (SINPROF), Guilherme Silva, reconheceu, terça-feira, na cidade do Sumbe, província do Kwanza-Sul, o empenho do governo na melhoria das condições sociais dos docentes.

Com a conquista da paz estão criadas as bases para a melhoria das condições para o desenvolvimento do ensino no país
Fotografia: Jornal de Angola

O presidente do Sindicato Nacional dos Professores Angolanos (SINPROF), Guilherme Silva, reconheceu, terça-feira, na cidade do Sumbe, província do Kwanza-Sul, o empenho do governo na melhoria das condições sociais dos docentes.
O responsável falava durante uma palestra sobre o tema “o contributo do SIMPROF no desenvolvimento da educação em Angola”, enquadrada no décimo quarto aniversário do sindicato dos professores, assinalado no dia 13.
Guilherme Silva referiu que com o fim do conflito em Angola, a 4 de Abril de 2002, pôs-se fim a quase três décadas de destruição das infra-estruturas do país, mas que actualmente o quadro é claramente diferente, mercês dos esforços do governo.
Referiu que o Governo ambiciona atingir nos próximos anos melhores condições sociais para as populações, nos domínios económico, social e político, bem como a eliminação da pobreza e do analfabetismo.
Guilherme Silva louvou, igualmente, o esforço do Governo na criação de novos empregos e a construção de escolas, salas de aulas e residências de professores, para garantir o sonho de milhares de crianças fora do sistema de ensino.
Apelou aos novos professores admitidos para mais empenho, coesão e transparência, em torno dos ideias que nortearam o surgimento do sindicato nacional de professores, acrescentando que “apesar de forças contrárias aos propósitos da classe, é necessário que saibamos remar contra a maré para consolidarmos as conquistas alcançadas ao longo dos catorze anos do SIMPROF”.
Guilherme Silva anunciou que das dezassete províncias onde o SIMPROF tem representações, apenas quatro têm contribuído com as quotas. Lamentou o facto e pediu para que nos próximos tempos os filiados contribuam com as suas quotas.
Participaram na palestra directores de distintas escolas da província do Kwanza-Sul, membros do governo, docentes e estudantes.

Tempo

Multimédia