Províncias

Sindicato traça estratégia para este ano lectivo

Victor Pedro | Sumbe

Traçar estratégias e medidas para o ano lectivo de 2010 foi o objectivo da 4ª reunião ordinária do conselho provincial do Sindicato Nacional dos Professores(Sinprof), realizada na terça-feira no Sumbe, que contou com a presença de representantes de 12 municípios.

Traçar estratégias e medidas para o ano lectivo de 2010 foi o objectivo da 4ª reunião ordinária do conselho provincial do Sindicato Nacional dos Professores(Sinprof), realizada na terça-feira no Sumbe, que contou com a presença de representantes de 12 municípios.
O encontro decorreu na Escola de Formação de Professores desta cidade, sob orientação do secretário do Sinprof do Kwanza-sul, Celestino Kalembe Lutukuta.
Na abertura da reunião, em nome dos sindicalistas, o responsável congratulou-se com a aprovação da nova Constituição da República de Angola e a investidura do novo Governo. Felicitou, também, M’Pinda Simão pela sua nomeação para o cargo de Ministro da Educação. Celestino Lutukuta considerou que o ano lectivo passado decorreu com normalidade. “Não podemos, nem devemo,  comprometer a futura geração que merece um Ensino de qualidade. Por isso, tudo temos que fazer”, referiu.

Actualização dos subsídios

No encontro, foram debatidos temas como o crescente número de crianças fora do sistema de ensino, tratamento desigual dos docentes do subsistema do Ensino não universitário no processo de actualização de categoria,  não actualização do processo do pagamento dos subsídios aos titulares de cargos de direcção e chefia, à luz do Decreto nº 37/03, de 27 de Junho e outras questões do sector.
Os representantes do Sindicato apelaram às autoridades para nomearem os directores de escolas e aumentarem o número de infra-estruturas de apoio ao Ensino Primário, Primeiro Ciclo e Secundário.
O conselho provincial do Sinprof recomendou à direcção provincial de Educação do Kwanza-Sul e ao Ministério da Educação a celeridade na distribuição do material didáctico, através das repartições de Educação.
Os participantes propuseram também que o pagamento dos salários dos docentes que leccionam nos municípios da Conda, Libolo, Ebo, Cassongue e Seles seja efectuado nas respectivas circunscrições, para se evitarem as deslocações à sede.
Pediram ainda que a inspecção escolar na província seja “dinâmica, funcional e actuante para melhor constatar as condições pedagógicas e administrativas das escolas” do Kwanza-Sul.

Tempo

Multimédia