Províncias

Sociedade deve conjugar esforços para garantir protecção das crianças

Carlos Bastos | Sumbe

O director provincial do Instituto Nacional da Criança (INAC) no Kwanza-Sul, pediu ontem, no Sumbe, à sociedade, para conjugar esforços para a preservação dos direitos da criança e esta tenha um crescimento estável.

O número de crianças fora do sistema de ensino na província é preocupante
Fotografia: Jornal de Angola

O director provincial do Instituto Nacional da Criança (INAC) no Kwanza-Sul, pediu ontem, no Sumbe, à sociedade, para conjugar esforços para a preservação dos direitos da criança e esta tenha um crescimento estável.
Correia Bongue fez este apelo durante um encontro de revitalização do conselho técnico do INAC, um órgão multidisciplinar que congrega responsáveis sectoriais dos distintos ramos que velam pelo acompanhamento da materialização dos “11 compromissos da criança” assumidos pelo  Executivo angolano.
O conselho técnico do INAC joga “um papel importante, pela sua intervenção institucional nas vertentes psíquica e social, e no levantamento e análise dos dados estatísticos, com particular realce na abordagem sobre o sistema de protecção da criança” realçou.
O responsável do instituto pediu aos parceiros um maior dinamismo no tratamento das questões ligadas às crianças, tendentes a melhorar as condições sociais, e a criação de mecanismos que permitam a protecção contra a violência infantil.
“Temos de efectuar campanhas de sensibilização nas comunidades, informando as pessoas que a criança merece protecção, de acordo com os seus direitos e deveres”, frisou, acrescentando que cada membro da comunidade deve transformar-se num verdadeiro agente de defesa dos direitos da criança.
A existência na província de um número considerável de crianças fora do sistema de ensino constitui, para o responsável, uma grande preocupação do grupo técnico do INAC, que deve ter a responsabilidade de identificar os problemas e ajudar a encontrar soluções.
As crianças devem merecer toda atenção dos adultos, disse Correia Bongue, sublinhando que tem de se apostar na educação e na formação dos pequenos por serem o  futuro do amanhã.

Tempo

Multimédia