Províncias

Sugerida melhor fiscalização das obras

Casimiro José e Victor Pedro | Sumbe

O Conselho de Auscultação e Concertação Social (CACS) do Cuanza sugeriu que deve melhorar a fiscalização das obras deste ano realizadas no âmbito dos Programas Municipais Integrados de Desenvolvimento Rural, Combate à Pobreza e de  Cuidados Primários.

Participantes na reunião consideraram positivo o andamento de várias acções constantes do programa de combate à pobreza na região
Fotografia: Fernando Camilo

Os participantes na reunião, realizada no Sumbe e presidida pela vice-governadora para o sector Político e Social, Maria de Lourdes Veiga, consideraram positivo o andamento das obras, mas alertaram para a importância de as adequar à situação financeira de forma a serem concluídas nos prazos estipulados por contrato.
Em relação ao programa de construção de 200 fogos habitacionais em cada município, concluíram que houve um abrandamento das obras e que é preciso "adoptar medidas correctivas”.
Os participantes foram informados da disponibilidade financeira para a operacionalização dos Balcões Único do Empreendedor na província e sobre a iniciativa do Comando Geral da Polícia Nacional de recolher as carcaças de viaturas abandonadas nas estradas nacionais, determinante para a redução da sinistralidade rodoviária.

Feira do Sumbe

Os participantes consideraram importante a realização da Feira Internacional do Cuanza Sul, de de11 a 14 de Setembro no Wako Kungo, por ser "excelente oportunidade para mostrar potencialidades da província".Sobre as sessões de auscultação às mulheres do meio rural em todos os municípios salientaram ser a melhor forma de identificar os principais problemas que as afectam.
A vice-governadora disse na abertura dos trabalhos que a segunda sessão ordinária do CACS se destinava a identificar os problemas da população para mais facilmente os resolver.

Município do Amboim

Um grupo de 50 directores de escolas dos vários níveis de ensino participou, no município do Amboim, Cuanza Sul, num ciclo de formação sobre organização e gestão escolar. A acção formativa foi promovida pela Direcção Provincial da Educação e debateu, entre outros aspectos, matérias sobre a preparação do ano lectivo, plano de acção de organização escolar, regime disciplinar, avaliação de desempenho, sistema de avaliação e preparação para provas finais.
A formação visou actualizar e dotar os responsáveis de escolas de novos conhecimentos que o sector da Educação tem vindo a empreender para melhorar o sistema de ensino e aprendizagem, de modo a servir de modelo para a sociedade.O inspector provincial da Educação no Cuanza Sul, Teles Jorge, disse que a acção formativa visou também a tomada de medidas contra os professores que não cumprem a sua obrigação de ensinar, a falta de agregação pedagógica e conhecimentos administrativos.
“O director deve agir conforme as competências atribuídas pelo sector da Educação e não ser conivente com atitudes que põem em causa o bom funcionamento da instituição que dirige. Pensamos ser este a atitude de um gestor e não ao contrário", precisou.

Tempo

Multimédia