Províncias

Sumbe e Porto Amboim com iluminação pública

Casimiro José

 Os projectos de modernização e expansão do sistema de abastecimento de energia eléctrica, em curso nas cidades do Sumbe, Porto Amboim e Gabela, vão ser concluídos em Julho do corrente ano.

Os trabalhos consistem na modernização da subestação da Gabela e construção de uma outra na cidade do Sumbe
Fotografia: Casimiro José

 Os projectos de modernização e expansão do sistema de abastecimento de energia eléctrica, em curso nas cidades do Sumbe, Porto Amboim e Gabela, vão ser concluídos em Julho do corrente ano, anunciou, na cidade de Wako Kungo, o presidente do conselho de administração Empresa Nacional Energia, Engenheiro Fernando Barros.
 Os projectos estão orçados em 62 milhões de euros e começaram em Janeiro de 2009. Os trabalhos consistem na modernização da subestação da Gabela e construção de uma outra na cidade do Sumbe. Também está prevista a reabilitação das linhas de transporte da corrente eléctrica a partir da cidade de Porto Amboim para Longa e da Gabela para a cidade do Wako Kungo. Os trabalhos estão executados em 80 por cento.
 Os trabalhos decorrem com a instalação de cabos de média e baixa tensão, colocação de postos de transformação (PT) aéreos e monoblocos, nas três cidades, obras de substituição da rede eléctrica e postes de condução de electricidade para as redes domiciliares e industriais.O presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Energia está preocupado com as construções de casas nos troços da linha de transporte de energia de alta tensão, entre Cambambe e Gabela e para o Sumbe, mas garantiu que foi feito o levantamento para se desencadearem acções de reposição da legalidade.
 Fernando Barros afirmou que os projectos constituem uma inovação no sistema de abastecimento de corrente eléctrica na fase pós independência.  “O projecto de melhoramento do abastecimento de corrente eléctrica nas cidades do Sumbe, Porto Amboim e Gabela, decorre a bom ritmo e após a sua conclusão, em Junho do corrente ano, vamos ter um abastecimento eléctrico mais eficaz. É, acima de tudo, uma inovação efectuada desde a independecia de Angola”, disse.
Os projectos de modernização e expansão do sistema eléctrico das cidades do Sumbe, Porto Amboim e Gabela, para além dos benefícios que vão trazer em termos de qualidade e quantidade, criaram inúmeras oportunidades de emprego aos cidadãos nacionais, entre pedreiros, carpinteiros, serralheiros, operadores de máquinas e canalizadores.

Água no Sumbe

O secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, garantiu na cidade do Wako Kungo, município da Cela, que a cidade do Sumbe vai contar, brevemente, com nova central de captação, tratamento e distribuição de água, com vista a melhorar o abastecimento à população.
 Luís Filipe da Silva, que integrou a delegação chefiada pela ministra de Energia e Águas, que visitou a província do Kwanza-Sul entre os dias 6 e 7 do corrente mês, reconheceu que a actual central de captação de água do Sumbe não oferece condições, de acordo os padrões universais.
Para inverter o quadro, acrescentou, foi feito um estudo pelas estruturas centrais, em colaboração com as autoridades da província, e, em finais deste mês de Abril, vai ser lançado um concurso de adjudicação da empreitada, que conta com o financiamento do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).  O secretário de Estado das Águas disse que é um projecto de intervenção profunda, que vai mudar completamente o quadro do sistema de abastecimento de água às populações do Sumbe e Porto Amboim. Acrescentou que as condutas de água nas duas cidades existem há mais de 40 anos e são de fibrocimento, cuja deterioração é irremediável. A cidade de Porto Amboim foi apontada pelo secretário de Estado das Águas, Luís Filipe da Silva, como a localidade que vai exigir uma intervenção profunda, pela falta de uma rede de distribuição de água estruturada, situação agravada com o êxodo populacional que regista nos últimos anos.
 Sobre o abastecimento da água à cidade de Wako Kungo, Luís Filipe da Silva garantiu que a água já atingiu o centro logístico do Projecto Aldeia Nova e que estão a ser feitos esforços para que o abastecimento beneficie os habitantes da sede municipal e arredores. Actividades de reabilitação, nesta fase, vão ser executadas também na vila da Quibala.
 Quanto ao Programa Água para Todos, Luís Filipe da Silva disse que o Kwanza-Sul teve um relativo atraso na sua execução e garantiu que, com o aumento de verbas anunciadas pelo Governo, nos próximos tempos os atrasos podem ser ultrapassados e caminhar para dar resposta às necessidades das populações do meio rural.
 Relativamente às modalidades de execução do Programa Água para Todos, Luís Filipe da Silva lembrou que cabe aos governos provinciais e administrações a sua execução.   O Governo Central disponibiliza de verbas, disse o secretário de Estado das Águas, sublinhando que “quem define as partes envolventes e a prioridade de beneficiação são as autoridades locais”

Tempo

Multimédia