Províncias

Técnicos de Saúde da região abordam as causas da doença

Casimiro José | Sumbe

Médicos e enfermeiros dos municípios da Província do Cuanza Sul estão, desde ontem e até amanhã, em conferência no Sumbe, para debaterem questões sobre gestão de casos da malária, com vista aprimorar e identificar as causas e métodos de actuação para combater a doença, sobretudo nas comunidades.

A conferência surge no quadro da implementação do projecto da Empresa Consaúde,  que pretende ver reduzido a morbilidade e mortalidade infantil e está a ser financiado pela Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional Usaid e World Learning.
Os participantes têm a oportunidade de aprofundar conhecimentos sobre temas ligados aos componentes estratégicos de combate à malária, ciclo evolutivo do parasita, diagnóstico laboratorial da malária e protocolo nacional para o seu tratamento. Os médicos e enfermeiros  abordam  questões ligadas ao tratamento da malária simples e grave, efeitos da malária na gravidez, treino de termos de referencia da malária e da dengue. Estará igualmente em análise  temas como conhecimento do Plano Estratégico de Controlo da Malária 2012/2017, cálculo na administração do fármaco “Artesunato” e o exercícios de aferição de conhecimentos, antes e depois.
Na abertura dos trabalhos, a chefe de departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias, Faustina Noy, louvou a iniciativa da Empresa Consaúde, por se ter juntado aos esforços das autoridades sanitárias e pretender levar sério o combate à malária na província do Cuanza sul.
Faustina Noy salientou que a conferência vai constituir-se numa interacção entre prelectores, médicos e enfermeiros das diversas áreas, por isso apelou a um maior engajamento dos presentes para que as mesmas produzam resultados esperados.
De acordo com o responsável, o combate das doenças nas comunidades passa por um compromisso sério dos médicos e enfermeiros, mas também dos próprios cidadãos.

Tempo

Multimédia