Províncias

Violência doméstica em análise no Sumbe

Carlos Bastos | Sumbe

“Os adultos, de forma consciente ou inconsciente, praticam na família, na rua, nos mercados informais e em outros meios, as piores formas de trabalho infantil”, afirmou quinta-feira, no Sumbe, província do Kwanza-Sul, o director provincial do Instituto Nacional da Criança (INAC), Correia Bongue.

Criados mecanismos para que todos se envolvam nos programas dirigidos às crianças
Fotografia: Jornal de Angola

“Os adultos, de forma consciente ou inconsciente, praticam na família, na rua, nos mercados informais e em outros meios, as piores formas de trabalho infantil”, afirmou quinta-feira, no Sumbe, província do Kwanza-Sul, o director provincial do Instituto Nacional da Criança (INAC), Correia Bongue.
Correia Bongue falava num encontro sobre a aplicação da lei contra a violência doméstica, que terminou na quinta-feira na cidade do Sumbe.
Aquele responsável referiu que a situação é preocupante, tendo em conta o número crescente de crianças “zungueiras” e lavadoras de carros nas ruas.
O responsável defendeu ainda o combater à delinquência juvenil, ao consumo de álcool e drogas no seio da família e da comunidade, assim como aos crimes contra as crianças.
Avançou que o governo local tem criado mecanismos de articulação para que todos os actores sociais estejam envolvidos nos programas dirigidos às crianças e que sejam executados de forma coordenada, com a participação directa da sociedade civil.
O responsável revelou a existência de alguns programas já em curso, como o de combate à delinquência e SOS Criança, a criação do Julgado de Menores e expansão da rede de protecção à criança.
A educação e identidade da primeira infância, programas de geração de postos de trabalho e de rendimento, disseminação dos 11 compromissos assumidos pelo governo e parceiros sociais, entre outros, constam dos programas das autoridades.
O evento contou com a presença de responsáveis dos sectores sociais do governo da província, chefes de departamento do INAC e representantes de organizações da sociedade civil, oficiais do comando provincial da Polícia Nacional, agentes da Ordem Pública e da Viação e Trânsito.

Tempo

Multimédia