Províncias

Apropriação de terras preocupa mulher rural

A apropriação de terras por desconhecidos, falta de transporte, água potável e de energia eléctrica foram as principais questões apresentada no Fórum de Auscultação à Mulher Rural realizado na comuna dos Ramiros, Luanda.

Mulher rural
Fotografia: Jaimagem

Durante o fórum,  as camponesas que vivem há mais de 20 anos na localidade do Tanque Serra pediram que sejam tomadas de imediato medidas que desencorajem a apropriação de terras e que sejam melhorados os serviços de saúde.
As participantes no encontro, subordinado ao tema “O Contributo da Mulher Rural no Processo de Desenvolvimento\", pediram igualmente que se providencie a instalação de um mercado de produtos agrícolas e de centros de formação profissional na localidade.
A directora provincial da Família e Promoção da Mulher disse estar preocupada com “a ocupação anárquica de terras\" e com “os actos de violação a que estão submetidas as mulheres\".  O desenvolvimento da actividade agrícola, confirmou Antónia Marcelino, é um dos propósitos do Executivo, mas apenas possível com as comunidades camponesas a explorarem os espaços reservados para a actividade.
As lavras, referiu, são o único meio de subsistência que estas famílias têm e quando lhes são retirados deixam de existir o meio de sustento dos filhos e enfrentam a pobreza.
O administrador comunal dos  Ramiros, António Segunda, que presidiu à reunião, incentivou as participantes a denunciarem os casos apropriação de terras para facilitar a acção da Polícia Nacional e evitá-los.
O Fórum da Mulher Rural enquadra-se na estratégia do Executivo angolano de melhorar as condiç~ões da mulher ruarl.

Tempo

Multimédia