Províncias

Aumentam casos de "catolotolo"

Nos últimos dias a cidade de Luanda está ser assolada por malária, conhecida popularmente por “catolotolo”.

Os doentes apresentam febres, dores de cabeça, das articulações, dos músculos e aquecimento nos membros inferiores levando em alguns casos ao estado de coma. Muitos doentes recorrem ao tratamento tradicional mas os médicos avisam que não devem seguir essa via, porque põem em risco as suas vidas. A medicina tem soluções para tratar a malária e são essas que todos devem seguir. O terapeuta Kitoko Maiavangua (Avô Kitoko) também avisou que os doentes não devem seguir um "tratamento tradicional" que inclui massagens com petróleo. O “catolotolo” é malária e manifesta-se com dores de cabeça, nas articulações, músculos e aquecimento nos pés. Avô Kitoko reconheceu que as fortes chuvas que se abateram sobre Luanda e as más condições de higiene são os principais vectores da doença. A malária também é conhecida por "chicungunha" e "catolotolo". Os doentes devem seguir o mesmo tratamento de sempre e fazer muito repouso. Nada de aventuras. O tratamento tradicional que inclui massagens com petróleo é muito perigoso. Quando sentir os sistomas do paludismo, ainda que haja mais dores nas articulações, a solução é prpcurar de imediato um posto, centro de saúde ou hospital para que técnicos especializados façam um diagnóstico e receitam os medidamentos mais aconsalhados. Com a saíde não se brinca.

Tempo

Multimédia