Províncias

Cortes na distribuição de água devido a actos de vandalismo

A cidade de Luanda tem sofrido nos últimos dias restrições no abastecimento de água potável em consequência do vandalismo praticado por alguns ex-funcionários da EPAL.

A informação foi avançada ontem pelo porta-voz da EPAL, Domingos Paciência, durante uma visita aos postos de abastecimento de água da Centralidade do Kilamba, onde oito condutas foram vandalizadas. Uma acção que tem sido praticada por ex-funcionários que fizeram parte do projecto de construção das estações de tratamento e abastecimento de água, por conhecerem o sistema de funcionamento. “Muitos deles já foram despedidos por estas práticas.”
Os postos de abastecimento e tratamento da Centralidade do Kilamba, localizados na zona do Bita Tanque e do Progresso, município de Belas, foram vandalizados por cidadãos ainda desconhecidos. Além da Centralidade do Kilamba, Sequele, Urbanização Nova vida, zonas periféricas e do casco urbano de Luanda também estão privadas de abastecimento de água, uma situação que tem causado muitos constrangimentos aos clientes da EPAL. “Esta semana tivemos de paralisar o funcionamento da estação para realizar alguns trabalhos de manutenção. Vamos continuar a trabalhar para melhorar este quadro constrangedor. Por isso, pedimos a compreensão dos moradores”, disse.
A estação de tratamento da Centralidade do Kilamba tem uma capacidade de produção de 20 milhões de litros de água por dia e quando não se produz esta quantidade causa muitos prejuízos.

Tempo

Multimédia