Províncias

Depósito de remédios em Luanda

Alexa Sonhi|

A província de Luanda vai contar, nos próximos dias, com um depósito provincial de medicamentos, com meios médicos e uma cadeia de frio.A informação foi dada pela vice-governodora para a Área Económica e Produtiva, Judith Pereira, no encerramento do 23º Conselho Consultivo do Ministério da Saúde.

Conselho Consultivo do Ministério da Saúde recomendou aos profissionais do sector a prestarem serviços de qualidade à população
Fotografia: Jornal de Angola

Judith Pereira garantiu que o depósito de medicamentos vai ser inaugurado brevemente sendo a sua gestão “um grande desafio para Luanda porque requer uma grande equipa qualificada”. A vice-governadora explicou que o próximo concurso público de ingresso vai ser uma mais-valia pois vai colmatar a insuficiência de profissionais.
 Judith Pereira frisou que o Ministério da Saúde já está a abastecer o depósito provincial. “Apelo a todos os profissionais presentes neste acto para se dedicarem com zelo às suas funções e a assistirem todos os pacientes conforme ensinam os princípios da medicina.”

Recomendações


No comunicado final do conselho consultivo,   apresentado pela directora Provincial da Saúde no Uíge, Luísa Cabunda, foi recomendado que o Plano Nacional de Desenvolvimento Sanitário (PNDS), depois de consensualizado e emendado  com os novos projectos, deve ser submetido à Comissão Social do Ministério da Saúde e ao Conselho de Ministros para apreciação e aprovação.  Sobre o Sistema e Serviço Nacional de Saúde, refere o comunicado final, deve-se continuar a aprofundar o processo, através de estudos e de medidas relativas aos modelos de financiamento sustentável.
O Conselho Consultivo do Ministério da Saúde recomendou que no capítulo dos Planos Municipais e Provinciais de Desenvolvimento Sanitário, s províncias devem começar de imediato a sua elaboração, respeitando os prazos estabelecidos, com o apoio técnico e metodológico do Ministério da Saúde. Para a preparação do Orçamento da Saúde dentro do Orçamento Geral do Estado para 2015, recomendou-se o respeito pelo calendário estabelecido.
Em relação à execução do Orçamento Geral do Estado para 2014 atribuído aos municípios, no âmbito da municipalização do Serviço Nacional de Saúde, o  23º Conselho Consultivo da Saúde   recomendou  que deve existir “estreita colaboração entre os administradores municipais, os directores municipais da Saúde e as equipas provinciais da Saúde”. 
Os recursos humanos foram um dos temas mais discutidos no Conselho Consultivo, recomendando-se que seja concluída a elaboração do Plano Nacional de Desenvolvimento de Recursos Humanos para a Saúde 2012-2017.
A logística dos medicamentos e meios médicos também mereceu particular atenção dos membros do Conselho Consultivo que constataram “alguma demora” na satisfação dos pedidos de fornecimento, sendo por isso recomendada “a melhoria dos mecanismos de coordenação entre as instituições envolvidas e a desburocratização do processo”.

Tempo

Multimédia