Províncias

Governador esteve no Cacuaco a promover obras comunitárias

Arcângela Rodrigues |

O governador provincial de Lu­anda, Bento Bento, foi ontem observar o estado da escola do ensino primário e secundário número 4.060 na Funda. Além de constatar o estado da escola, o governador foi ver como está a funcionar o centro de tratamento de água na CAOP e o andamento das obras no Mercado do Kifangondo e no Mercado do Peixe, no Cacuaco.

Governador Bento Bento em visita de campo recebe explicações sobre a execução de projectos sociais no município do Cacuaco
Fotografia: João Gomes

O governador provincial de Lu­anda, Bento Bento, foi ontem observar o estado da escola do ensino primário e secundário número 4.060 na Funda. Além de constatar o estado da escola, o governador foi ver como está a funcionar o centro de tratamento de água na CAOP e o andamento das obras no Mercado do Kifangondo e no Mercado do Peixe, no Cacuaco.
A administradora do Cacuaco, Rosa Dias dos Santos, apresentou ao governador e  visitantes os projectos realizados e em carteira. “Já foram realizadas 55 ligações de chafarizes para a comuna do Kikolo”, disse a administradora. Rosa Dias dos Santos precisou que foram construídos 18 chafarizes em vários bairros, com predominância para a Mulemba e Pedreira e quatro chafarizes para a Barra do Bengo. Este ano “vão ser inaugurados cinco postos de abastecimento de energia nos bairros da Vidrul e da Funda”, salientou a administradora. Além disso, referiu, estão a ser construídos sete mercados, dois campos desportivos, cozinhas comunitárias e 26 quiosques.
O porta-voz do Governo da Província de Luanda, Carlos Gonçalves, disse que o governador fez um balanço positivo da actividade realizada e deixou recomendações no sentido de haver melhorias. “É de saudar o trabalho que o município do Cacuaco está a fazer no combate à pobreza”, afirmou o porta-voz.
O responsável da obra no Mercado do Kifangondo, Joaquim Fernandes, realçou que aquele espaço de vendas tem 366 bancadas, um armazém e um local para a lavagem do peixe. Joaquim Fernandes garantiu a abertura, dentro de dois meses, de uma paragem de táxis dentro do mercado e de um posto policial.

Tempo

Multimédia