Províncias

Mercado informal ressurge na passagem de nível

César André |

Mesmo depois dos constantes apelos dos funcionários da Administração Municipal do Cazenga e dos Caminhos de Ferro de Luanda, os vendedores ambulantes ressurgiram e continuam a comercializar produtos na passagem de nível da linha férrea no Gamek. 

Na zona do Gamek vários vendedores ambulantes continuam a vender na beira da estrada
Fotografia: Domingos Cadência

No local, onde o perigo está sempre à espreita, o comboio que faz diariamente o trajecto entre a estação do Bungo e  Viana colheu e ceifou a vida de muitos cidadãos que insistem em praticar o comércio na linha férrea.
A azáfama no local é grande, os comerciantes,   além de ocuparem a passagem de nível com produtos, bloqueiam  a via principal que dá acesso ao aterro dos Mulenvos.
Para transpor aquele obstáculo, os automobilistas que circulam naquela via tem de fazer ginástica para alcançar o seu destino, sob o olhar impávido e sereno das autoridades policiais que guardam a passagem de nível.  
Há meses a Administração Municipal do Cazenga procedeu à demolição de cantinas improvisadas, e que alimentavam ali o comércio informal mas mesmo assim o cenário é o mesmo, confusão na orla da linha férrea, causando risco de vida a quem vende e a quem compra ou a quem simplesmente por ali passa. É importante que a Administração Municipal coloque ordem   para que não se continuar a assistir a mortes desnecessárias por atropelamento de comboio.
Além do mercado informal  surgiu  no local uma paragem de táxis na via principal que dá acesso aos bairros do Papa Simão, Km Seis e Nove,  Aterro dos Mulenvos e município de Cacuaco. 
Cidadãos que residem próximos do local defendem a necessidade de as autoridade municipais acabarem de uma vez por todas com o mercado informal que não dignifica o bairro do Gamek.

Tempo

Multimédia