Províncias

Milhares de casas estão inundadas

Nilza Massango |

A Comissão Provincial de Protecção Civil anunciou ontem, numa reunião realizada no Governo Provincial de Luanda, que 6.930 residências, 28 postos médicos e quatro esquadras policiais ficaram inundados, e dez famílias desabrigadas, como consequência das chuvas que assolaram a província de Luanda nos últimos dias. 

Governador da província de Luanda durante visita às zonas atingidas pelas chuvas
Fotografia: Domingos Cadência

Na reunião, presidida pelo governador da província de Luanda, Higino Carneiro, na qualidade de coordenador provincial da Protecção Civil, foram ainda apresentados como consequências das chuvas sete centros de saúde inundados, 78 casas em risco de desabamento, 23 casas que ficaram sem tecto e duas igrejas afectadas. Os municípios de Viana, Belas e Cacuaco foram os mais atingidos. 
Higino Carneiro orientou as equipas de protecção civil a reforçar o trabalho para a gestão das consequências das chuvas em conjunto com a população, de modo a minorar os estragos.  O comandante provincial da Protecção Civil e Bombeiros de Luanda, José Caculo, porta-voz do encontro, garantiu que todas as medidas estão a ser tomadas para minorar  o impacto das chuvas, garantindo que as dez famílias desabrigadas no município de Viana já estão a ser assistidas, num trabalho desenvolvido pela comissão local de Protecção Civil.
José Caculo lamentou a morte de um cidadão no bairro da Boavista, distrito urbano do Sambizanga, município de Luanda.
O Comando Provincial vai reforçar o trabalho que está a ser feito pelas comissões de protecção civil para mitigar os efeitos e consequências das chuvas. Equipas da comissão de Protecção Civil trabalham na sucção das águas que inundam as várias residências e no desassoreamento das valas de drenagem para permitir que as correntes de água possam seguir o seu curso normal.
“O governador da província de Luanda e coordenador provincial da Protecção Civil está preocupado com a situação e convocou a Comissão Provincial de Protecção Civil para avaliar os prejuízos das chuvas que assolam a província de Luanda”, disse.
O Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica (INAMET) prevê mais chuvas na capital do país. José Caculo apela às populações para tomarem cuidado em tempo de chuva e evitarem contacto com postos de electricidade e o abrigo debaixo de árvores.

Tempo

Multimédia