Províncias

Lubango necessita salas de aula para inserir mais crianças no ensino

André Amaro |Lubango


 
Ao todo, a província da Huíla precisa de mil salas de aula para inserir mais de 135 mil crianças que se encontram fora do sistema de ensino e de aprendizagem, anunciou a direcção provincial da Educação.


 
Ao todo, a província da Huíla precisa de mil salas de aula para inserir mais de 135 mil crianças que se encontram fora do sistema de ensino e de aprendizagem, anunciou a direcção provincial da Educação.
O director da Educação na Huíla, que falava depois de um encontro com o vice-governador para área social, disse que a província controla 1.600 escolas.
Américo Chicote afirmou que os efeitos da crise financeira mundial se repercutem na construção de escolas e que a “falta de novas estruturas escolares inviabiliza o enquadramento, no próximo ano lectivo, de mais crianças no ensino”.
O vice-governador da Huíla para área social, Cunha Velho, disse que o governo gizou um programa de construção de mais salas de aulas, mas que devido a falta de recursos financeiros não foi, ainda, possível materializar o projecto.
Apesar disso, quatro novas escolas, com a capacidade de 24 salas de aula cada, devem estar concluídas nos próximos meses.
O vice-governador disse que a prioridade é o município do Lubango, por ter “elevado número de crianças fora do processo de instrução e educação”.
O município do Lubango, referiu, vai ser privilegiado por ter sido “encerrada a escola nº 5, por falta de condições, fazendo com que mil alunos ficassem sem estudar, juntando-se a outros cinco mil da escola nº 11, que não foram inseridos, por falta de espaço”.

Cursos técnico-profissionais

Um grupo de 50 jovens do município do Cuvango, a 356 quilómetros a Leste do Lubango, província da Huíla, frequenta, este mês, cursos de arte e ofícios, no Pavilhão de Formação técnico-profissional.
O director da instituição de ensino, Pedro Ndala, afirmou que 23 jovens frequentam o curso de informática, 12 o de agricultura básica e 15 de carpintaria.
Os cursos são ministrados nos três períodos do dia, com aulas teóricas e práticas.
Pedro Ndala disse que existem contactos avançados para começarem os cursos de construção civil, electricidade e serralharia, que ainda não são ministrados por falta de professores.
O Centro, o único do município, inaugurado em 2008, tem 11 professores, que já formaram 120 jovens da circunscrição. Cuvango tem 66.910 habitantes.

(*) Com Angop

Tempo

Multimédia