Províncias

Lubango vai ceder lotes de terra para projectos

André Amaro|Lubango

Os empresários portugueses interessados em expandir os seus negócios na cidade do Lubango vão receber parcelas de terra com dimensões até quatro hectares para a materialização dos seus projectos de impacto socio-económico.

Os empresários portugueses interessados em expandir os seus negócios na cidade do Lubango vão receber parcelas de terra com dimensões até quatro hectares para a materialização dos seus projectos de impacto socio-económico.
A informação foi adiantada pelo administrador municipal do Lubango, Vigílio Tyova, que manteve um encontro com um grupo de empresários portugueses que está na província da Huíla para avaliar as oportunidades de negócio, áreas prioritárias e outros.
Ao caracterizar o município do Lubango, Vigilio Tyova disse que a sede da província tem uma superfície territorial de 78.879 metros quadrados ocupados por cerca de um milhão de habitantes, cuja actividade principal é a agro-pecuária.
Disse que para projectos que criem riqueza e mais postos de trabalho e contribuam para o bem-estar das populações, a administração pode disponibilizar espaços até quatro hectares. No âmbito do processo das novas urbanizações e loteamentos de terrenos, as autoridades governamentais já preparam três localidades para implantação de projectos, nomeadamente no Mutundo, Eywa e Tchavola. />O administrador Vigilio Tyova salientou que o município do Lubango tem muito a ganhar com a intenção e concretização dos programas de investidores portugueses, pelo facto de “sermos irmãos pela língua que nos une e partilharmos a mesma história do país”. O presidente da Câmara de Comércio e Indústria de Portugal, António Rodrigues, sublinhou que a disponibilidade da administração municipal do Lubango vai estimular o investimento de empresários portugueses.
António Rodrigues salientou que os nove empresários que integram a comitiva apostam mais no ramo da construção civil, curtumes, produção de papel e instalação de estruturas industriais.
A construção de uma escola profissional para empresários angolanos e a criação de espaços para instalação de uma zona industrial vão ser prioritárias na cooperação com as autoridades da Huíla. A delegação de empresários portugueses da região de Santarém tem previstas visitas a projectos agro-pecuários e industriais nos municípios da Matala, Humpata e Chibia.

Tempo

Multimédia