Províncias

Abastecimento de água reforçado na Lunda-Norte

Isidoro Samutula/Dundo

Os municípios do Chitato, Cuilo e Lubalo vão contar, até ao final do ano em curso, com mais sistemas de abastecimento de água, disse, no Dundo, o presidente do Conselho de Administração da Empresa de Água e Saneamento da província da Lunda-Norte.

Objectivo é fazer com que a população deixe de percorrer distâncias em busca de água
Fotografia: Edições Novembro

André Camilo, que falava na cerimónia da tomada de posse dos chefes de departamento e secções da empresa, disse que as obras estão em fase muito avançada e ainda este ano os sistemas entram em funcionamento, para garantir o fornecimento de água potável às populações.

No município do Chitato, acrescentou, o projecto vai fornecer água potável à vila do Chitato e aos bairros 4 de Abril e Camatundo.
O sistema contempla 1.238 ligações domiciliárias, além de 24 chafarizes, já construídos nos referidos bairros. Tem os reservatórios praticamente concluídos, um de 400 metros cúbicos na zona do Napaulo, no bairro Camatundo, que conta com duas electrobombas para bombear água para o reservatório elevado, no bairro 4 de Abril, com 250 metros cúbicos, onde vai ser feita a distribuição por gravidade para a vila do Chitato, Bairro 4 de Abril e Camatundo, fazendo um sentido inverso da tubagem. O sistema vai ser alimentado pela captação de Luachimo e Mussungue.
André Camilo disse que estão ainda em curso as obras dos sistemas de abastecimento de água dos municípios de Lucapa e Cambulo, na vila mineira do Nzagi.
O sistema do Lucapa tem capacidade para 350 metros cúbicos por hora, conta com três electrobombas, sendo duas a funcionar e outra na reserva. O sistema do Nzagi, cuja parte alta que comporta a captação, o centro de distribuição e a conduta adutora se encontra concluído, faltando apenas a reabilitação da rede de distribuição pela empresa Romagest, a quem foi adjudicada a obra, que brevemente arranca com a empreitada, tem capacidade para 208 metros cúbicos por hora. Também vai funcionar com três electrobombas.
Com a entrada em funcionamento dos dois sistemas, previstos também para este ano, disse, vai ser resolvido o problema de abastecimento de água na vila do Lucapa e Nzagi, onde a população enfrenta, há muitos anos, muitas dificuldades para conseguir água, recorrendo aos rios ou a carros-cisternas. André Camilo afirmou que actualmente o abastecimento de água potável à cidade do Dundo é regular e está assegurado pelo siste-ma de água do Mussungue, que fornece água ao Distrito Urbano do Dundo, e o sistema de água da nova centralidade, que garante o abastecimento apenas à centralidade do Mussungue.
André Camilo apontou a falta de pagamento de água por parte de muitos consumidores como o único problema que a Empresa de Água e Saneamento da província da Lunda-Norte regista na cidade do Dundo.
Na tomada de posse, André Camilo pediu responsabilidade aos novos responsáveis, tendo em conta as novas exigências do país, de modo a prestar melhores serviços à população. André Camilo disse que a água é um bem precioso que não pode faltar à população e por esta razão deve haver maior dedicação dos responsáveis e das respectivas equipas técnicas para garantir regularmente o fornecimento aos consumidores. André Camilo reconheceu que não é uma tarefa fácil, tendo em conta os custos de produção e tratamento de água, para que chegue em boa qualidade aos consumidores.

Tempo

Multimédia