Províncias

Aberto ano lectivo no Instituto de Saúde

Joaquim Aguiar e Armando Sapalo | Dundo

O sistema de educação na província da Lunda-Norte vai ser reforçado com a entrada em funcionamento, no próximo mês de Julho, do Instituto Médio de Saúde (IMS).

Lunda-Norte forma técnicos médios de saúde para reforçar a assistência médica
Fotografia: Jornal de Angola

O sistema de educação na província da Lunda-Norte vai ser reforçado com a entrada em funcionamento, no próximo mês de Julho, do Instituto Médio de Saúde (IMS), que foi formalmente apresentado aos estudantes e sociedade civil, na terça-feira, durante uma cerimónia orientada pelo vice-governador para Organização e Serviços Técnicos, Moisés Chingongo.
A nova instituição do ensino médio na província vai funcionar, provisoriamente, nas instalações onde funcionou a Escola Básica de Enfermagem, uma estrutura recentemente restaurada, localizada no centro da cidade do Dundo. A mesma tem capacidade para albergar mais de trezentos estudantes nos três períodos.
Segundo o director provincial da Educação em exercício, André Manaças, as aulas arrancam na primeira quinzena do mês de Julho, com cerca de 180 estudantes inscritos, maioritariamente finalistas dos últimos cursos básicos de enfermagem e enfermeiros de carreira, que pretendem aumentar os conhecimentos académicos e profissionais.
O responsável afirmou que vai ser ministrado, numa primeira fase, o curso de enfermagem geral, tendo em conta a disponibilidade de professores qualificados e outras condições adicionais.
O corpo docente, disse André Manaças, é constituído por quinze professores, na sua maioria, médicos angolanos e cubanos que trabalham nos hospitais da cidade do Dundo. Estes vão leccionar fundamentalmente as disciplinas de especialidade, enquanto que para cadeiras complementares estão disponíveis professores colaboradores, que já laboram noutras instituições de ensino. O director provincial adiantou ainda que a introdução de outros cursos, com realce para os de laboratório de análises clínicas, farmácia, estatística médica, serão implementados de forma faseada, dependendo da criação de condições básicas que garantam o normal funcionamento da instituição.
O vice-governador provincial para a Organização e Serviços Técnicos, Moisés Chingongo, considerou ser fundamental continuar a se investir na formação profissional dos quadros do sector da Saúde para melhorar a qualidade de prestação dos serviços de saúde à população, nos diferentes centros hospitalares da província.
O governante disse que a instituição, além de contribuir para a diminuição da carência de enfermeiros na província, vai igualmente motivar o ingresso de quadros do sector na Faculdade de Medicina da Universidade Luegi Akonde.
O IMS da Lunda Norte vai contar, nesta fase, com os apoios da direcção provincial da Saúde para garantir a elaboração de programas estruturais, quer do ponto de vista académico, quer na criação de condições para a construção de instalações definitivas, assim como da colaboração do sector da Educação, que deverá assegurar a assessoria didáctica e pedagógica ao corpo docente.

Satisfação dos estudantes

Madalena Virgínia, técnica básica de enfermagem há dois anos e funcionária do hospital central do Dundo, considera louvável a iniciativa do governo provincial. Para ela esta é uma oportunidade para que possa aumentar os seus conhecimentos profissionais e corresponder às exigências da enfermagem no mundo moderno. Fernando Chicolassonhi, enfermeiro há já 15 anos, afirma que com o ensino da saúde a nível médio naquela província, é mais fácil começar a sonhar com o curso superior de medicina. “Daqui a mais uns anos teremos aqui muitos médicos”, augura.

Tempo

Multimédia