Províncias

Adoptadas medidas preventivas

João Silva | Dundo

As autoridades sanitárias da Lunda Norte criaram condições para enfrentar um eventual surto de febre-amarela, disse ontem no Dundo, ao Jornal de Angola, o chefe de departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias.

Criada equipas com a missão de sensibilizar os habitantes num contacto porta a porta sobre as medidas de prevenção para travar a doença
Fotografia: Benjamim Cândido

Francisco Ernesto realçou que na Lunda Norte não foi diagnosticado qualquer caso de febre-amarela, desde o surgimento do surto em Luanda, em Dezembro do ano passado. “Muito recentemente surgiram alguns casos suspeitos e de imediato enviámos as amostras para o laboratório de referência em Luanda e os resultados deram negativos. Até agora continuamos com este quadro que muito nos anima”, salientou.
Apesar da situação ser estável, os serviços de saúde tomaram medidas preventivas, em colaboração com outras entidades estatais, acompanhadas da criação de uma comissão multi-sectorial que actua em todos os municípios.
A comissão exerce vigilância epidemiológica, coordena as unidades sanitárias constituídas para lidar com os doentes de febre-amarela, assegura a comunicação e a troca de informação institucional, no âmbito da monitorização das medidas preventivas.
Francisco Ernesto destacou  a criação de equipas volantes, constituídas por três activistas, com a missão de sensibilizar os habitantes, num contacto porta-a-porta, sobre a manutenção da higiene, o combate ao lixo e a eliminação dos potenciais focos de mosquitos.
O chefe de departamento de Saúde Pública e Controlo de Endemias assegurou que, até ao momento, 90 por cento das crianças da cidade do Dundo e arredores foram já vacinadas contra a febre-amarela.

Tempo

Multimédia