Províncias

Apoios à mulher rural são necessários

Victorino Matias | Dondo

Um maior apoio à mulher rural, por constituir um grupo activo no processo de desenvolvimento económico e social a nível das comunidades foi pedido, ontem, na cidade do Dundo, pela directora provincial da Lunda Norte da Família e Promoção da Mulher.

Directora da Família destaca os esforços que as autoridades envidam para criar condições que permitam gerir pequenos negócios
Fotografia: Victorino Matias | Dondo

Domingas Zeferino defendeu, em declarações ao Jornal de Angola,   a necessidade de se criarem condições para se garantir que a mulher rural tenha acesso à formação académica e profissional, aprender a manusear as novas tecnologias, para acompanhar a dinâmica do processo económico e produtivo.
O acesso da mulher às aulas de alfabetização e a outros sistemas de ensino, que permitem aprimorar os conhecimentos sobre os seus direitos e obrigações,  foi defendido por Domingas Zeferino, para  as mulheres se tornarem mais independente e estarem mais bem capacitadas para desenvolver actividades produtivas.
Na província da Lunda Norte existem 21.260 mulheres rurais enquadradas em cooperativas e associações camponesas, informou Domingas Zeferino, que destacou os esforços que as autoridades locais estão a envidar para criar as condições necessárias que permitam criar e gerir os micros e pequenos negócios, dentro das suas comunidades.
No ano passado, recordou Domingas Zeferino, um grupo de 100 mulheres de diferentes zonas rurais da província da Lunda Norte beneficiou de seminários de capacitação em matérias de fomento da actividade apícola e de produção de sabão, no âmbito do desenvolvimento das comunidades e do apoio ao reforço das suas capacidades económicas. As mulheres receberam conhecimentos sobre várias actividades produtivas desenvolvidas a nível do meio rural, que tiveram repercussões positivas na vida, sobretudo no reforço da renda familiar, ressaltou Domingas Zeferino.
A directora provincial da Família e Promoção da Mulher destacou   o papel da mulher rural  no processo de redução da pobreza e da desigualdade de género, assim como a melhoria das condições sociais e de segurança alimentar das famílias. />A aprovação e materialização do Programa Nacional de Apoio à Mulher Rural, criado pelo decreto presidencial 138-12 de 20 de Junho, que tem como objectivo a garantia da participação da mulher rural no combate à fome e à pobreza, à escala nacional, está a ajudar no incremento dos níveis de produtividade agrícola na província, explicou Domingas Zeferino.
“O programa tem um conjunto de acções de natureza produtiva e recomenda a capacitação da mulher rural na gestão de pequenos negócios, combate ao analfabetismo e potenciar as iniciativas locais geradoras de rendimento.”
O papel do Executivo na produção de legislação que tem resultado em mudanças na vida das mulheres, como a Lei contra a Violência Doméstica, o Plano Executivo de combate à violência doméstica, o Plano Estratégico de Alfabetização para redução dos índices de analfabetismo literal e funcional foi salientado por Domingas Zeferino.
A Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher desenvolveu, ao longo do ano em curso, campanhas de educação e sensibilização sobre o género, visitas às mulheres internadas em hospitais, promoção de diálogo no seio das famílias e realização de encontros com os representantes municipais e comunais, informou Domingas Zeferino, que concluiu: “Consta  do programa da Direcção Provincial da Família e Promoção da Mulher para este ano a capacitação das parteiras tradicionais nos bairros e aldeias, realização de palestras sobre as doenças transmissíveis, prestar apoio contínuo às mulheres rurais, a promoção de emprego e incentivar a adesão às aulas de alfabetização”.

Tempo

Multimédia