Províncias

Aumentam os casos de fuga à paternidade

Isidoro Samutula | Dundo

Catorze novos casos de fuga à paternidade e vários outros de exploração infantil, com realce para a venda de produtos nas ruas, transporte de carga e lavagem de viaturas foram registados, de Janeiro a Março deste ano, pela Direcção Provincial do Instituto Nacional da Criança na Lunda-Norte, disse ao Jornal de Angola o chefe de administração e serviços gerais. 

Catorze novos casos de fuga à paternidade e vários outros de exploração infantil, com realce para a venda de produtos nas ruas, transporte de carga e lavagem de viaturas foram registados, de Janeiro a Março deste ano, pela Direcção Provincial do Instituto Nacional da Criança na Lunda-Norte, disse ao Jornal de Angola o chefe de administração e serviços gerais.  
António Ferreira Ngunza esclareceu que os municípios do Cambulo, Lucapa, Capenda-Camulemba, Xá-Muteba, Cuango e Chitato são os que apresentam mais problemas desta natureza, situação que preocupa o Instituto Nacional da Criança na Lunda-Norte. 
Para reverter a situação, garantiu que estão a ser implementadas, a nível da província, medidas de protecção à criança, em colaboração com diferentes instituições governamentais e não-governamentais.
“São políticas que se inscrevem no âmbito da protecção da primeira infância, protecção da criança no seio familiar e protecção contra todas as formas de violência e abuso por parte dos adultos”, salientou.
Para alcançar a meta desejada pelas autoridades locais, sublinhou ser  necessário aperfeiçoar os mecanismos de mobilização a nível das comunidades sobre o combate à violência e promoção dos direitos da criança, com o apoio do conselho técnico provincial e das redes de protecção da criança existentes em todos municípios da província.
António Ferreira Ngunza explicou que estão igualmente a ser promovidas medidas de segurança, com realce para a prevenção e combate à delinquência infanto-juvenil e outras práticas, que visam garantir o crescimento sadio da criança e contribuir para a redução de casos de violação dos seus direitos.
O responsável do Instituto Nacional da Criança na Lunda-Norte mostrou-se satisfeito com o empenho do governo local, sobretudo as forças policiais, que combatem o tráfico de menores.
“Estamos satisfeito pelo esforço feito  pelas autoridades da província, disse o responsável.
Dada a complexidade geográfica da província e a sua extensa fronteira com a RDC, prosseguiu, é necessária a colaboração de toda a sociedade para que as crianças estejam protegidas.

Tempo

Multimédia