Províncias

Aumentam os casos de morte por malária

Isidoro Samutula | Dundo

A malária continua a ser a principal causa de morte na pediatria do Hospital Municipal do Chitato, onde se registou, durante este ano, a morte de 29 crianças, o que está a preocupar os responsáveis da instituição.

População aconselhada a procurar as unidades sanitárias logo após os primeiros sintomas
Fotografia: Benjamim Cândido | Dundo

A directora de enfermagem do Hospital Municipal do Chitato, Palmira Domingas, disse ao Jornal de Angola que, desde o início do ano, a pediatria registou 13.220 casos de malária.
Diariamente, acrescentou, são feitas mais de 300 consultas, que resultam em 35 a 48 internamentos, números muito elevados tendo em conta a capacidade da pediatria, que tem apenas 130 camas.
"Muitas vezes são colocadas mais de duas crianças numa cama", lamentou a directora de enfermagem, sublinhando que esses casos não são muito frequentes, porque muitos pais preferem o tratamento em ambulatório.
O registo de casos de malária no Hospital Municipal do Chitato é elevado, por ser a única unidade sanitária na cidade do Dundo com serviços de pediatria, devido às obras de reabilitação do Hospital Central do Dundo.
As autoridades sanitárias da província têm desenvolvido várias acções destinadas a sensibilizar a população para o uso de mosquiteiros e para a necessidade de manter o saneamento básico nas comunidades, principalmente no tempo de chuva, época com maior registo de casos. Com o início do tempo seco, a tendência é para a diminuição da malária, apesar de ainda estar a liderar entre as demais patologias mais frequentes nesta época do ano, com realce para as doenças respiratórias agudas, anemia e diarreia.
Outra preocupação da directora de enfermagem é a falta de sangue na hemoterapia do hospital. "Não temos muitos dadores, algumas vezes há iniciativas de algumas congregações religiosas que se solidarizam com o hospital e trazem os seus crentes para darem sangue". O hospital dispõe de equipamentos modernos que têm facilitado uma boa prestação de serviços, com maior realce para os de estomatologia, ecografia e raio-X, o que permite um melhor atendimento dos pacientes, sem necessidade de se deslocarem a outros pontos do país. Está também em curso o processo de substituição de colchões nas enfermarias, para dar melhores condições aos pacientes.
A instituição conta ainda com os serviços de maternidade, morgue, farmácia, laboratório, banco de urgência, hemoterapia e vacinação.
Para garantir a assistência médica e medicamentosa, o hospital tem 120 enfermeiros e 12 médicos, dos quais seis pediátricos.

Tempo

Multimédia