Províncias

Autoridades querem ensino de qualidade

Armando Sapalo | Dundo

As autoridades da Lunda Norte vão continuar a desenvolver acções para melhorar a qualidade de ensino na província, com a participação activa e valorização dos quadros do sector, afirmou, no Dundo o director provincial da Educação.

Defendida a valorização de quadros
Fotografia: Benjamim Cândido | Dundo

Bartolomeu Sapalo, que assumiu o compromisso numa acção de formação, realizada no âmbito do Projecto de Aprendizagem para Todos (PAT), disse que o ponto de partida para a melhoria da qualidade do ensino é o aumento de conhecimentos académicos e profissionais dos professores, principalmente os do ensino primário.
O objectivo do PAT, declarou, é apoiar as acções de consolidação do modelo de agrupamento de escolas e estabelecer mecanismos que melhorem os níveis de conhecimento e competências dos professores.
Numa primeira fase, o PAT abrange apenas Chibato, Cambulo, Cuílo, Lubalo e Lucapa. Nos outros municípios depende dos resultados da acção formativa. Bartolomeu Sapalo lembrou que um dos desafios do Governo Provincial é, em coordenação com as estruturas centrais do Ministério da Educação, é o alargamento da rede escolar e a melhoria das políticas de acesso ao ensino para aumentar as oportunidades de escolarização, particularmente das crianças.
 O propósito do Governo Provincial, referiu, não se circunscreve à inserção das crianças em idade escolar no sistema de ensino, mas garantir-lhes acesso ao conhecimento.
Os conhecimentos transmitidos às crianças, salientou, devem ser transformados em competências com reflexos no bem-estar social das famílias, pois a educação é indispensável ao desenvolvimento. O PAT, prosseguiu, destina-se também a auxiliar a estabilização das zonas de influências pedagógicas, com a realização de acções, que incluem o apetrechamento das escolas com meios técnicos e tecnológicos, material didáctico e a formação contínua dos professores.
Bartolomeu Sapalo referiu igualmente a importância de dinamizar os concelhos das escolas da província “que integram as áreas escolhidas como zonas de influências pedagógicas, com os desígnios fundamentais e o acesso rápido dos professores a programas de superação académica”. 
A acção de formação, acentuou, contribui para estimular os professores, a partilha de conhecimentos e dos conteúdos curriculares do ensino primário por congregar os protagonistas do processo de ensino e aprendizagem.
O ensino primário, lembrou, o responsável, é a fase em que as crianças começam a adquirir os conceitos básicos das disciplinas do seu plano curricular e a acção de formação ajuda a exercitar as estratégias e os procedimentos didácticos dos professores primários que facilitam a inserção social e cultural das crianças.

Tempo

Multimédia