Províncias

Camponeses são apoiados com sementes

Flávia Massua | Saurimo

Pelo menos 120 toneladas de sementes foram disponibilizadas pelas autoridades da província da Lunda-Sul, para o ano agrícola 2013/2014. O director provincial da Agricultura, Avelino Zeca, revelou o facto na localidade de Sakahinga, a 20 quilómetros da cidade de Saurimo, no acto de abertura da campanha agrícola.

Muitas famílias estão envolvidas na campanha agrícola onde se prevê a colheita de centenas de toneladas de produtos diversos
Fotografia: Jornal de Angola

Avelino Zeca informou que foram distribuídas 80 toneladas de semente de arroz, 20 de milho e igual quantidade de feijão.
O responsável da Agricultura da Lunda-Sul revelou que as sementes vão beneficiar mais de 53 mil famílias camponesas, que trabalham de maneira individual e associadas.
Avelino Zeca disse que a previsão é colher 207 mil toneladas de produtos provenientes de 170 mil hectares já preparados.
“O nosso sector prevê colher 207 mil toneladas de produtos s, cifra que suplanta em mais de 31mil toneladas, a quantidade obtida na campanha anterior”, reforçou.
O soba Joaquim Kafeno pediu a reabilitação da via para normalizar a circulação e instalação de um posto de saúde, água potável e ampliação da única escola de três salas no bairro onde vivem 300 pessoas, na sua maioria camponeses.
Para a camponesa Tumba Maria, a distribuição de sementes e fertilizantes abre perspectivas de aumento de colheitas, mas teme que as dificuldades na via de acesso possam comprometer o escoamento dos produtos.
Josefina Arminda disse que a vinda de uma comitiva governamental confirma o reconhecimento do trabalho que os camponeses  da região estão a desenvolver.
Elogia o esforço da estrutura central do sector da Agricultura, traduzido na distribuição dos meios. A camponesa disse que o predomínio da mandioca nas áreas plantadas é seguido pela opção em cereais como o milho, arroz, frutícolas e repovoamento animal, que passou dos mais de 4.000 bovinos no ano passado para 7.000 este ano. Por outro lado, técnicos de Saúde, funcionários do Instituto de Defesa ao Consumidor e agentes da Polícia Nacional actualizaram conhecimentos sobre normas de segurança na preservação de produtos químicos.
De acordo com o decano da Faculdade de Medicina de Malange, Pedro Neto, pelo menos 90 técnicos foram formados durante dois dias, na cidade de Saurimo, província da unda-Norte, sob a égide da Universidade Lueji Anconde (ULAN).
Segundo Pedro Neto, a prevenção para evitar mortes por intoxicação encabeça os objectivos preconizados pela organização do evento.
Temas como “toxicologia ocupacional, drogas e mordeduras por serpentes” foram discutidos pelos participantes no encontro, que terminou sexta-feira.

Tempo

Multimédia