Províncias

Campos agrícolas foram desminados

Mais de 1.000 metros quadros de campos agrícolas foram desminados, durante este ano, pelo Instituto Nacional de Desminagem na província da Lunda-Norte, nos municípios de Chitato, Cambulo e Lucapa, anunciou, na cidade do Dundo, o chefe do departamento de operações.

Dada a complexidade de alguns perímetros agrícolas foram usados no processo de desminagem tecnologias avançadas
Fotografia: Benjamim Cândido

Mais de 1.000 metros quadros de campos agrícolas foram desminados, durante este ano, pelo Instituto Nacional de Desminagem na província da Lunda-Norte, nos municípios de Chitato, Cambulo e Lucapa, anunciou, na cidade do Dundo, o chefe do departamento de operações.
Alcides André Paulino disse que as acções de desminagem incidiram nas áreas agrícolas de Calumbia e de Camudembele, o que permitiu a implantação, naquelas localidades, de grandes projectos agro-pecuários e o regresso da população camponesa, que está a transformar os antigos campos minados em verdadeiros celeiros.
A desminagem das áreas agrícolas nos municípios do Chitato, Cambulo e Lucapa, permitiu também a recolha e destruição de 491 minas, 9.741 morteiros e 2.889 munições, num total de 13.121 engenhos explosivos.
Dada a complexidade de alguns perímetros agrícolas, foram usados no processo de desminagem tecnologias avançadas, como é o caso de “bozenas”, disponíveis na técnica operativa das Forças Armadas Angolanas.
Além de campos de agrícolas, foram igualmente desminadas este ano, as margens dos rios Chicapa e Luachimo e o perímetro da barragem hidroeléctrica nos arredores da cidade do Dundo, para garantir a livre circulação de pessoas e bens, a reparação e extensão das linhas de transporte de energia eléctrica.
O responsável da área operativa do Instituto Nacional de Desminagem na província da Lunda-Norte reconhece existirem áreas potencialmente agrícolas ainda suspeitas de minas, sobretudo nos municípios de Xá Mutena, Capenda Camulemba, Cuilo, Lubalo e Caungula, tendo em conta a pressão militar que estas localidades sofreram durante a guerra.
Para garantir a desminagem das diferentes zonas suspeitas, o Instituto Nacional de Desminagem na província da Lunda-Norte conta com a colaboração de vários parceiros, com realce para a brigada das Forças Armadas Angolanas, da casa Militar da Presidência da República, da unidade da Polícia de Guarda Fronteira e das Administrações Municipais que têm sabido dar respostas a altura das encomendas. O comando da 32ª brigada de infantaria das Forças Armadas Angolanas, localizada no Dundo, na Lunda-Norte, recebeu novos meios técnicos para assegurar o processo de desminagem. São duas máquinas “Bozena 5”, equipadas com meios técnicos modernos para o processo de desminagem mecanizada, com sistemas para garantir segurança a todos seus ocupantes, através do comando do sistema de controlo remoto.
As máquinas “Bozena 5” têm capacidade para desminar nove mil metros quadrados por dia. O acto de apresentação dos meios, decorreu no acampamento da brigada de desminagem, na presença do governador da província, Ernesto Muangala, pelo coordenador provincial da comissão de desminagem, Moisés Chingongo, membros do governo local e entidades de defesa e segurança.
O comandante da 32ª brigada de infantaria, António Menezes, disse que a recepção das duas máquinas vai reforçar a actividade de combate às minas que tem sido levada a cabo na província da Lunda-Norte e contribuir para a limpeza das áreas suspeitas de minas, para que possa dar lugar ao cultivo.

Tempo

Multimédia