Províncias

Caungula com novo sistema de água e luz

Joaquim Aguiar* | Dundo

O administrador municipal de Caungula, Jorge Sassupi, considera que as novas infra-estruturas administrativas e sociais recentemente inauguradas constituem o ponto de partida para o desenvolvimento do município.

Chafarizes foram instalados nos arredores da sede municipal de Caungula para abastecimento de água potável às populações
Fotografia: Benjamim Cândido

O administrador municipal de Caungula, Jorge Sassupi, considera que as novas infra-estruturas administrativas e sociais recentemente inauguradas constituem o ponto de partida para o desenvolvimento do município.
Jorge Sassupi afirmou que a reconstrução das principais infra-estruturas, como a sede da administração municipal, escolas, residências, sistema de abastecimento de água potável e de iluminação pública mudaram para melhor a vida dos cidadãos e vão contribuir para o desenvolvimento sustentável da região.
A sede municipal de Caungula, 30 anos depois, volta a ter iluminação pública, assegurada por um grupo gerador de 165 KVA, com abastecimento de combustível garantido pela administração municipal.
O sistema de abastecimento de água potável tem capacidade para produzir 30 metros cúbicos por hora, reforçado por um tanque de 90 metros cúbicos que alimenta os diferentes chafarizes construídos na periferia.
Jorge Sassupi disse foi difícil concretizar o desafio de reconstrução do município de Caungula, tendo em conta as adversidades geográficas e o mau estado das vias de comunicação, que muitas vezes desencorajaram os empreiteiros a concluir os projectos.
O administrador Jorge Sassupi quer agora ver relançados os programas de desenvolvimento da agricultura e pecuária, que para além de garantirem empregos aos munícipes, vão também contribuir para combater a fome e a pobreza no seio das famílias.
“Temos estado a ser solicitados por várias personalidades nacionais e estrangeiras, interessadas em investir na agricultura e pecuária e tudo isso passa primeiro pela criação de infra-estruturas, sobretudo estradas e pontes”, disse Jorge Sassupi.
Para chegar hoje a Caungula foi preciso construir uma estrada alternativa graças à coordenação de esforços com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados e a organização não governamental ZTZ, que apoiaram a abertura da via e o lançamento de pontes provisórias sobre os rios Luhamba e Lué.
Face às dificuldades de acesso ao município de Caungula, o Governo Provincial decidiu, por ocasião das festividades dos 32 anos da criação da província da Lunda-Norte, disponibilizar verbas, no próximo ano, para a reabilitação da estrada que faz a ligação entre os municípios de Caungula e a vila de Cafunfo, no município do Cuango.
Jorge Sassupi, no seu programa de dinamização dos vários sectores da vida política, económica e social do município, quer contar com o apoio dos quadros da região, actualmente residentes em diferentes localidades.
“Vamos construir mais moradias, uma casa para a juventude e um complexo residencial para os alunos sem possibilidades de se fixarem na sede municipal. Tudo isso para atrair os quadros e incentivar a criação de comunidades estudantis a nível local”, afirmou.
 
Sector da Saúde

O sector de saúde vai também conhecer melhorias, com a chegada em breve de três médicos, que vão assegurar a assistência médica às populações e reformular o sistema sanitário na região.
Jorge Sassupi afirmou que os contratos para a vinda dos médicos estão numa fase avançada na Direcção Provincial de Saúde. A Administração Municipal, segundo o administrador, está neste momento a fazer os acabamentos e apetrechamento do posto médico da comuna de Camaxilo, onde numa primeira fase vão ser colocados os médicos, enquanto esperam pela conclusão do centro médico municipal.
O administrador municipal de Caungula assegurou que as casas para os médicos estão garantidas, esperando apenas a cooperação da Direcção Provincial da Saúde quanto ao fornecimento de medicamentos e equipamentos médicos. “Três das seis casas inauguradas no dia 4 de Julho destinam-se aos médicos”, disse.
Esta medida, disse Jorge Sassupi, vai diminuir os elevados níveis de mortalidade, sobretudo de crianças e mulheres grávidas, por falta de assistência sanitária, tendo em conta a grande distância que a população percorre, sem meios de locomoção, até ao vizinho município do Cuango em busca dos primeiros socorros.
A instalação de médicos no município de Caungula vai beneficiar igualmente as populações dos municípios do interior da província, com realce para o Lubalo e Cuilo, que têm como destino preferencial, na busca de assistência sanitária, a cidade de Saurimo, na província da Lunda-Sul.
 
População satisfeita

Os munícipes de Caungula enaltecem o empenho do Executivo na reconstrução do município. Delfina Manuel testemunhou a inauguração do chafariz do seu bairro, visivelmente satisfeita, agradecendo os esforços do Governo Provincial. “Deus que conceda mais tempo a este governo, vamos esquecer as longas distâncias que percorremos no rio e fazer tudo para cuidarmos destes investimentos”, disse Delfina Manuel.
Graça Cahango, funcionário público, diz que vai diminuir o índice de doenças transmitidas pelo consumo de água não tratada na região e pediu ao Governo Provincial esforços redobrados para a melhoria das condições de vida das populações.
Timóteo Sá diz que “o Governo Provincial deve agora criar mecanismos para que os jovens possam aumentar os níveis de conhecimento, com a implantação de outros níveis de ensino, o sinal da rádio e televisão e a rede de telefonia móvel”.
O soba Jorge Abreu Muatxindjango sublinha a necessidade de recuperar o tempo perdido: “ até há pouco tempo aqui era uma mata, as casas eram só de capim, até as instituições da administração municipal eram também de capim, porque na guerra foi demolido tudo o que o colono deixou”.
 O soba elogiou os esforços do Governo Provincial para devolver a dignidade à população de Caungula: “por isso vamos continuar a apoiar o Executivo, porque até aqui tem dado mostras que quer resolver os principais problemas da população”, sublinhou.
O soba Jorge Abreu Muatxindjango pede ao Governo provincial que preste maior atenção aos programa de desenvolvimento rural, para ajudar os agricultores a trabalharem a terra, a aumentarem a produção e diversificarem as áreas de intervenção no campo.
 
Abrir mais escolas

O soba Jorge Abreu Muatxindjango, que é também professor primário, defende a necessidade urgente de abrir no município uma escola do segundo ciclo do ensino secundário, para evitar que os jovens abandonem a sua terra para dar continuidade aos estudos.
De acordo com o soba Jorge Abreu Muatxindjango, as relações institucionais entre as autoridades tradicionais e o poder local são excelentes, o que resulta na convergência de ideias relativas aos programas de desenvolvimento do município.
Para reforçar ainda mais este relacionamento, o governador provincial, Ernesto Muangala, fez a entrega de uma viatura às autoridades tradicionais do município de Caungula, para facilitar as suas deslocações quando são chamadas à sede da província em missão de serviço ou para tratar assuntos no interior do município.
O município de Caungula dista mais de 800 quilómetros da cidade do Dundo, capital da província da Lunda-Norte. Está localizado a sudoeste da província e limita a norte com a República Democrática do Congo e o município do Cuango, a sul com o município do Lubalo e a leste com o município do Cuilo.Tem uma extensão territorial de 10.791 quilómetros quadrados e duas comunas, a sede e Camaxilo. A população é de 29.281 habitantes, maioritariamente camponeses, que se dedicam à agricultura de subsistência.

* Com  Armando Sapalo

Tempo

Multimédia