Províncias

Central térmica entra em funcionamento

Isidoro Samutula | Dundo

A central térmica do Dundo entra em pleno funcionamento em Fevereiro e vai fornecer energia à sede da província, nova centralidade e bairros periféricos, anunciou o presidente do Conselho de Administração da Empresa Nacional de Electricidade.  

A província da Lunda Norte está a beneficiar de grandes projectos no sector da energia o que vai permitir que a cidade do Dundo e os bairros periféricos tenham mais iluminação
Fotografia: Benjamin Cândido|Dundo

José Carlos Neves disse ao Jornal de Angola que actualmente a central térmica está a funcionar de forma experimental, com apenas dois dos quatro grupos geradores, com uma produção de oito megawatts, e está alimentar de energia alguns bairros do Dundo. Outras zonas ainda continuam a depender da central hidroeléctrica do Luachimo, que tem uma produção actual de seis megawatts. Apesar da melhoria do abastecimento de energia eléctrica à capital da Lunda Norte, José Carlos Neves considera que há “toda a necessidade de aumentar substancialmente a capacidade de produção de energia eléctrica, tendo em conta o surgimento de novos bairros e o aumento da densidade populacional”.
A central térmica tem capacidade para 30 megawatts e, de acordo com presidente do Conselho de Administração da ENE, para absorver esta potência é necessário construir uma linha de distribuição, que vai possibilitar a interligação entre a central térmica com a hídrica, de modo a facilitar a ligação da rede existente no Dundo.
“Acreditamos que com a conclusão dos trabalhos em curso, de construção de uma linha de distribuição, vamos ter os 30 megawatts completamente disponíveis para o abastecimento de energia eléctrica à cidade e à nova centralidade”, garantiu.
José Carlos Neves esclareceu que a Lunda Norte está a beneficiar de grandes projectos no sector de energia e acrescentou que, depois da instalação da central térmica, está previsto para o primeiro trimestre deste ano o arranque das obras de reabilitação da central hidroeléctrica do Luachimo, cuja capacidade vai ser ampliada para 32 megawatts.
“Com estes projectos teremos a cidade do Dundo com fornecimento de energia eléctrica melhorada”, disse, lembrando que há dois anos foi reabilitada a rede de média e baixa tensão, assim como a iluminação pública, o que permitiu abranger mais bairros da cidade.  A reabilitação e ampliação da capacidade da central hidroeléctrica do Luachimo vai permitir, no futuro, o abastecimento de energia aos municípios de Cambulo e Lucapa. Para tal, está em curso o estudo que visa a recuperação da linha de transporte, sabotada durante o conflito armado, que sai da central hídrica do Luachimo, passando pelo município de Cambulo e que termina no município de Lucapa.
“A recuperação da linha é extremamente importante porque, no passado, alimentou vários projectos mineiros. Apesar do quadro actual ser diferente, há a necessidade de fazermos estudos para ajustarmos ao novo quadro”, disse o presidente do Conselho de Administração da ENE, durante a visita de constatação e avaliação dos investimentos do sector na Lunda Norte.

Tempo

Multimédia