Províncias

Centro de saúde do Cuango com mais serviços

Isidoro Samutula | Cuango

O centro de saúde do município do Cuango, na Lunda-Norte, passa a dispor de mais serviços, com a conclusão das obras de reabilitação e ampliação.

O centro está apto a prestar bons serviços à população por possuir meios técnicos que garantem assistência com qualidade
Fotografia: Isidoro Samutula|Cuango

Encerrado em 2011, devido à falta de condições, o centro, agora com 32 camas, vai prestar serviços de pediatria, maternidade e de clínica geral. Tem um banco de urgência, dois consultórios, uma sala de cuidados intensivos, laboratório, farmácia, refeitório, secção de repouso de enfermeiros, dois guarda-roupas, sala de espera e uma lavandaria.
Para garantir a assistência médica e medicamentosa, o centro conta apenas com dois médicos norte-coreanos, sendo um de clínica geral e um pediátrico, 17 enfermeiros e quatro auxiliares de limpeza, número bastante reduzido, tendo em conta a capacidade do centro.
A directora municipal da Saúde, Manuela Manengo, disse que o centro oferece todas as condições para prestar bons serviços à população, por possuir meios técnicos modernos que garantem uma assistência médica e medicamentosa de qualidade.
A população, segundo Madalena Manengo, deixa de percorrer cerca de três quilómetros até a vila de Luzamba em busca de serviços de saúde. “Temos agora um centro com as condições necessárias, o anterior tinha apenas 24 camas e faltavam muitos serviços”, disse Manuela Manengo, acrescentando que são necessários mais quatro médicos para as áreas de ginecologia e pediatria, 20 enfermeiros e 12 técnicos de diagnóstico terapêutico. “Já solicitámos o reforço de recursos humanos para corresponder com a dimensão do centro”, afirmou.
A entrega da infra-estrutura às autoridades municipais do Cuango foi testemunhada pelo governador provincial, Ernesto Muangala, no quadro das comemorações do Dia da Independência Nacional.
O governador reiterou o compromisso do governo provincial em levar os serviços de saúde mais próximos da população, para diminuir os índices de mortalidade, sobretudo materno-infantil, e elevar a educação sanitária, para se evitar a propagação de várias endemias.
Ainda no município do Cuango, Ernesto Muangala inaugurou um centro de saúde na comuna do Luremo, com capacidade para 16 camas, que vai prestar serviços de clínica geral e pediatria. Totalmente apetrechado, o centro conta com um consultório médico, banco de urgência, enfermaria para homens e mulheres, farmácia, laboratório de análises clínicas e uma sala de espera, com capacidade para 21 lugares.
A comuna passa a contar com três unidades sanitárias, sendo um posto de saúde na localidade do Mussuco e um centro materno-infantil que atende a população da sede comunal. A directora municipal da Saúde garantiu que, com a inauguração de mais um centro de saúde no Luremo, o município passa a ter uma cobertura satisfatória de unidades sanitárias nas principais localidades com maior aglomeração populacional.
“Temos agora instaladas unidades sanitárias em todas as principais localidades do município e isto é um passo muito importante para melhorar a saúde das pessoas”, afirmou.
Por falta de médicos, disse, o centro de saúde da comuna do Luremo vai funcionar numa primeira fase com quatro técnicos, auxiliados por um médico norte-coreano de clínica geral, que trabalha no Hospital do Cafunfu, a 40 quilómetros da comuna do Luremo.
Manuela Manengo apontou a malária, doenças diarreicas agudas e doenças respiratórias agudas como as patologias mais frequentes na região. “O nosso município está numa área endémica, enquanto não melhorar a situação do saneamento básico vamos continuar a registar esses casos”, salientou.
O regedor Alfredo Funete louvou o esforço do Executivo angolano na melhoria das condições de vida da população, sublinhando que o centro de saúde fazia muita falta aos 17 mil habitantes da comuna do Luremo.
“É um grande ganho. Tínhamos muitas dificuldades relativamente à assistência médica, o posto de saúde existente não tinha capacidade e condições para atender tantas pessoas”.

Tempo

Multimédia