Províncias

Cidade do Dundo melhora de visual

João Silva| Dundo

A cidade do Dundo, capital da província da Lunda-Norte, está a ganhar, nos últimos tempos, uma nova imagem, com a execução dos trabalhos de asfaltagem das ruas urbanas e suburbanas, a colocação de sinais horizontais, verticais e semáforos.

Ruas urbanas e suburbanas estão a ser asfaltadas e a beneficiar da colocação de sinais horizontais e verticais bem como semáforos
Fotografia: Benjamin Cândido| Dundo

O melhoramento da rede viária da cidade do Dundo está igualmente a permitir controlar o trânsito, reduzir acidentes de viação e uma maior conservação e durabilidade dos veículos que transitam na urbe.
Segundo o director provincial das Obras Públicas, Alter Malenga, desde Fevereiro deste ano foram asfaltados cerca de 12 quilómetros das ruas da cidade e arredores, sobretudo os troços que ligam a rotunda do Bairro Norte ao Chitato, Sanatório de Sacavula, ponte sobre o Rio Luachimo e a via que liga a Direcção do Instituto de Estradas de Angola ao bairro da Brigada.
Alter Malenga frisou que o Governo provincial prevê asfaltar mais 28 quilómetros da rede rodoviária da zona urbana e periferia da cidade do Dundo. Esclareceu ainda que o Ministério do Urbanismo e Habitação está a elaborar estudos e projectos estratégicos, para a construção de infra-estruturas integradas, num espaço de 200 hectares, na cidade do Dundo.
Os projectos estratégicos para a urbanização da cidade do Dundo, acrescentou, vão permitir também desactivar as valas de drenagem das águas fluviais, devido às construções anárquicas, e criar novos sistemas em locais mais seguros, que permitam os trabalhos de manutenção e ampliação, de acordo com o crescimento demográfico da cidade.  O responsável revelou ainda que estão a ser realizadas obras de drenagem das águas das chuvas e a construção de lancis e passeios, no troço rotunda do aeroporto ao desvio da nova centralidade do Dundo, pelas empresas Motaengil e SINOMACH.
Admitiu ser difícil terminar as obras nos prazos previstos, por se tratar de intervenções que estão a ser feitas dentro das localidades com maior densidade populacional e executadas em época chuvosa, além de constrangimentos ligados a outras infra-estruturas que cruzam a zona de intervenção, como as de água, energia e redes telefónicas. A colocação de sinais verticais, horizontais, semáforos e passeios, segundo o chefe de gabinete de estudos e informação da direcção provincial de Viação e Trânsito, Abílio Hélder, está a contribuir para a diminuição do índice de sinistralidade rodoviária e acautelar o trânsito na cidade do Dundo.
Durante o mês de Outubro, revelou, a Polícia de Viação e Trânsito registou, na cidade do Dundo, um total de 31 casos de acidentes rodoviários, com 11 mortos, 24 feridos graves e danos materiais avaliados em mais de 24 milhões de kwanzas.
Abílio Hélder garantiu que os serviços de Viação e Trânsito estão empenhados nas campanhas de sensibilização dos utentes, no sentido de acatarem as normas de trânsito, destacando as acções de prevenção e de educação aos utilizadores das estradas, e contactos com as direcções das escolas com maior número de jovens.
“Estamos a incutir na mentalidade dos automobilistas, sobretudo jovens, a cultura de respeitar os sinais de trânsito que estão a ser colocados nas vias, como a obrigatoriedade de parar nas passadeiras, nos semáforos e conduzir com precaução”, disse, revelando que, nos últimos tempos, os dados sobre a sinistralidade rodoviária são bastante assustadores.
António Machingo, jovem moto-taxista, de 21 anos, enalteceu a iniciativa do Governo da província, que, além de melhorar a imagem da cidade, está a permitir transitar com segurança.
O jovem revelou ainda que, desde que as estradas estão a ser asfaltadas e colocados os sinais verticais, horizontais e semáforos, nunca sofreu nenhum acidente e aconselha os outros utilizadores das estradas a serem prudentes e cumprirem as regras de trânsito.
José Mafo, também taxista, de 40 anos, disse que já conduz há muito tempo e está a gostar do novo visual da cidade, sobretudo a rede de estradas.
Ele é contra as pessoas que se aproveitam do bom estado das estradas para circularem com velocidade, em desobediência às regras de trânsito.
“Tive um caso em que tinha parado na passadeira para deixar atravessar um peão, mas um jovem moto-taxista, que transportava um passageiro, vinha a grande velocidade e embateu atrás da minha viatura e ficou gravemente ferido”, disse, aconselhando a juventude a ser mais responsável.
“Mais vale um minuto na vida do que a vida num minuto”, avisou José Mafo, aconselhando ainda os automobilistas a cumprirem a máxima “se beber não conduza e se conduzir não beba”.

Tempo

Multimédia