Províncias

Cofre de Previdência Social leva dignidade aos professores

Victorino Matias | Dundo

Os funcionários do sector da Educação da Lunda Norte passam a dispor, a partir de agora, de mais oportunidades para assegurar a melhoria das condições sociais, com a instalação, ontem, do Cofre de Previdência dos Professores (CCP).

Com a entrada em funcionamento do cofre, os professores e outros técnicos do Ministério da Educação, a nível da província, passam a beneficiar de pensões de reforma por velhice ou invalidez e de subsídios de saúde e de morte.
No acto de apresentação formal do fundo de pensão dos funcionários do sector, o presidente do Cofre de Previdência dos Professores, Miguel Flávio Bungo, destacou a importância da instituição na criação de condições sociais para a promoção e desenvolvimento dos quadros da Educação, Ensino Superior e particulares. As acções do cofre, explicou o responsável, vão contribuir para a dignificação do professor e de outros profissionais do sector no período após a vida activa laboral por velhice ou por invalidez.
Miguel Bungo avançou que a adesão é voluntária, sendo que cada interessado deve preencher uma ficha e dispor de uma declaração a autorizar que se faça um desconto de três por cento do seu salário base.
O presidente esclareceu que os professores não precisam de filiar-se ou de tornar-se sócios do Cofre de Previdência, sublinhando que a integração depende da vontade de cada funcionário. “São candidatos todos os quadros, desde que reúnam requisitos exigidos pelos estatutos e regulamentos da instituição”, disse.
Miguel Bungo solicitou aos professores para se filiarem na instituição, no sentido de verem resolvidos certos constrangimentos.
 O responsável realçou ser importante a criação dos núcleos, no sentido de garantir o seu funcionamento normal a nível das províncias.

Tempo

Multimédia