Províncias

Comuna de Xá-Cassau regista melhorias

João Silva | Dundo

O administrador comunal de Xá-Cassau, município do Lucapa, província da Lunda-Norte, Joaquim Kipungo, disse no fim-de-semana, ao Jornal de Angola, que, apesar de algumas dificuldades, ligadas sobretudo ao mau estado das estradas, a região está a registar acentuadas melhorias sociais, com a construção de infra-estruturas sanitárias e de abastecimento de água e energia eléctrica.

Entre as obras em curso destaque para as dos sectores da Saúde e da Educação para melhorar a assistência médica e o ensino
Fotografia: Benjamim Cândido | Dundo

O administrador comunal de Xá-Cassau, município do Lucapa, província da Lunda-Norte, Joaquim Kipungo, disse no fim-de-semana, ao Jornal de Angola, que, apesar de algumas dificuldades, ligadas sobretudo ao mau estado das estradas, a região está a registar acentuadas melhorias sociais, com a construção de infra-estruturas sanitárias e de abastecimento de água e energia eléctrica.
Segundo Joaquim Kipungo, a comuna de Xá-Cassau conta neste momento com dois postos de saúde, na sede comunal e na povoação do Chapa, que atendem um universo de mais de dez mil habitantes.
O administrador adiantou que, no quadro do programa municipal integrado e de desenvolvimento rural, tudo está a ser feito no sentido de se construírem mais unidades sanitárias nas áreas desprovidas de postos de saúde, com prioridade para as localidades do Luxico, Samulembe e Mutuoa.
No domínio da educação e ensino, Joaquim Kipungo esclareceu que foram construídas, nos últimos três anos, três escolas para o ensino primário, que estão a assegurar o desenvolvimento do processo de ensino, aprendizagem e aceleração escolar, na sede comunal e nas localidades do Luô e do Catoca.
O programa de construção de novas infra-estruturas escolares, adiantou, abrange as povoações de Chilimbica e Mutoa, com escolas de cinco e três salas, e três residências para professores, que devem estar concluídas no final deste ano.
O administrador comunal de Xá-Cassau lamentou o facto da produção agrícola na região não atingir ainda os níveis desejados pelas autoridades, por falta de instrumentos de trabalho, como enxadas, catanas, sementes, adubos e fertilizantes, bem como o fraco nível organizativo das associações de camponeses e cooperativas agrícolas.
Joaquim Kipungo disse ainda que outro factor que contribui para níveis baixos da produção agrícola tem a ver com a falta de incentivos financeiros aos camponeses da região, com realce ao micro-crédito de campanha agrícola, que permita a aquisição de instrumentos de produção e equipamentos, de forma a perspectivar uma agricultura sustentável e mecanizada e diversificar as culturas do campo.

População aplaude

Para melhorar o nível organizativo das associações de camponeses da região, disse o administrador Joaquim Kipungo, vai deslocar-se esta semana à comuna de Xá-Cassau uma brigada móvel do sector provincial de Identificação Civil, para atribuir bilhetes de identidade aos membros das associações de camponeses e cooperativas agrícolas, o que permite, na fase seguinte, organizar processos para a solicitação de financiamentos.
Vários membros da sociedade civil e autoridades tradicionais têm louvado os esforços do Executivo, que visam melhorar as condições de vida das populações daquela circunscrição administrativa.
O regedor Mutoua disse que já se notam melhorias na região, com a reposição de muitos serviços sociais, como a educação, saúde, água e energia eléctrica, facto que encoraja a população a continuar a depositar o seu voto de confiança ao Executivo angolano.
“O camarada Presidente José Eduardo dos Santos e o Executivo têm todo o apoio e confiança do povo de Xá-Cassau”, disse o regedor Mutoua.O ancião perspectiva um futuro risonho para a nova geração de Xá-Cassau. “Durante quase 30 anos, os nossos filhos não tiveram a oportunidade de estudar. Agora, com escolas a funcionar e postos médicos a tratarem da saúde das nossas crianças, já podemos pensar no desenvolvimento da nossa comuna, porque quem transforma as maravilhas da terra é o homem”, disse o ancião.
José Camule, de 10 anos e aluno da 2ª classe, satisfeito por estar a estudar, afirmou: “Estou muito contente porque antes não estudava, por falta de escola, mas agora estou a estudar para ser ministro.”
A comuna de Xá-Cassau dista 120 quilómetros da sede municipal do Lucapa. Tem uma população estimada em mais de 12 mil habitantes, distribuídos em 34 povoações, cuja base assenta, essencialmente, na agricultura, caça e pesca artesanal, segundo o administrador.

Tempo

Multimédia