Províncias

Conselheiras familiares são formadas no Dundo

Vitorino Matias | Dundo

Mais de cinquenta mulheres Filiadas em organizações sociais e organismos estatais e privados, receberam conhecimentos sobre aconselhamento familiar, durante um seminário realizado no fim-de-semana, na cidade do Dundo, província da Lunda-Norte, promovido pelo Ministério da Família e Promoção da mulher.

Mais de cinquenta mulheres Filiadas em organizações sociais e organismos estatais e privados, receberam conhecimentos sobre aconselhamento familiar, durante um seminário realizado no fim-de-semana, na cidade do Dundo, província da Lunda-Norte, promovido pelo Ministério da Família e Promoção da mulher.
O seminário teve como objectivo fundamental dotar os conselheiros familiares de métodos e procedimentos de trabalho, que permitam esclarecer o cidadão, no dia a dia, sobre os direitos e deveres familiares, com vista a harmonizar o ambiente nos lares, onde as crianças apenas devem aprender o amor, a fraternidade e sobretudo, a cultura da não violência.
Durante dois dias, foram abordados temas ligados à condução de uma sessão de aconselhamento, formação em aconselhamento, tipos de aconselhamento do HIV-SIDA e temáticas relacionadas com a violência doméstica, violência contra a criança e os seus direitos.
A vice-ministra da Família e Promoção da Mulher, Ana Paula do Sacramento Neto, que dirigiu o seminário, destacou o papel da mulher na educação da família, principalmente na mudança de atitudes e comportamento de crianças e adolescentes, de forma a contribuir para o desenvolvimento de uma sociedade sadia, com famílias prósperas. 
Sublinhou que a qualidade de serviço a prestar à sociedade, pelos diferentes membros da família exige a adopção de políticas de aconselhamento, para o fortalecimento da estrutura familiar como passo importante para o desenvolvimento do nosso país.
Ana Paula Neto disse que é preciso combater o baixo estatuto que é atribuído às mulheres, fundamentalmente às meninas no seio familiar, como resultado de efeitos negativos de práticas tradicionais, determinadas pelo sexo ou religião, ainda corrente em algumas regiões do país.
O vice-governador da Lunda-Norte para esfera económica e social, Porfírio Muacasange, manifestou, na ocasião, a necessidade de dar formação aos conselheiros familiares nas administrações municipais e comunais, para um maior envolvimento da sociedade, de forma a estimular os jovens e adolescentes a terem maior responsabilidade, enquanto membros do núcleo familiar.
Os participantes no seminário, consideraram que a formação foi benéfica, porque vai contribuir para a solução pacífica dos problemas que acontecem no dia a dia das famílias. 

Tempo

Multimédia