Províncias

Cruz Vermelha actualiza dados de voluntários e de dadores

A direcção provincial da Cruz Vermelha de Angola, na Lunda-Norte, trabalha, desde Março, no registo dos associados, disse ontem, no Dundo, ao Jornal de Angola, seu responsável.

A direcção provincial da Cruz Vermelha de Angola, na Lunda-Norte, trabalha, desde Março, no registo dos associados, disse ontem, no Dundo, ao Jornal de Angola, seu responsável. Com este processo, afirmou Ilídio Jó, a Cruz Vermelha de Angola, pretende aumentar o número de dadores de sangue e de voluntários, tendo em vista atingir os objectivos traçados para a província.
A organização, que tem, na Lunda-Norte, 83 dadores de sangue e 43 socorristas, opera nos municípios do Chitato, Cambulo, Lucapa, Capenda-Camulemba e Xá-Muteba.
A Cruz Vermelha enfrenta, na Lunda-Norte, algumas dificuldades, que passam pela falta de infra-estruturas e de transporte, referiu Ilídio Jó, lamentando que o secretariado provincial funcione em instalações sem o mínimo de condições, o que cria “sérios transtornos ao trabalho que se pretende desenvolver”.
“Precisamos urgentemente de um meio de transporte para irmos ao encontro das comunidades desta extensa província”, disse, sublinhando:
“Esta é uma das razões para não actuarmos junto das populações vulneráveis”, referiu.
Para cobrir as necessidades da população em termos de saúde preventiva e curativa, frisou, são necessários até 2014, pelo menos, 1.200 doadores de sangue.
A Cruz Vermelha na Lunda-Norte conta com parcerias do Ministério da Reinserção Social, do sector da Saúde, ONG’S, organizações juvenis, Organização Mundial da Saúde, Protecção Civil e Bombeiros, UUNICEF e o governo provincial.

Tempo

Multimédia