Províncias

Cuango moderniza serviços sanitários

Armando Sapalo| Dundo

As autoridades do município do Cuango, na Lunda-Norte, estão a apostar fortemente em projectos de expansão da rede sanitária, tendo em vista a melhoria da assistência médica e medicamentosa, anunciou na terça-feira a chefe da repartição local da Saúde.

Além dos trabalhos de recuperação e aumento da capacidade de internamento do Hospital Municipal o projecto também engloba o apetrechamento com equipamentos modernos
Fotografia: Benjamim Cândido|Dundo

Manuela Manengo disse que o objectivo do programa de expansão é fazer com que as pessoas deixem de percorrer longas distâncias para encontrar serviços de saúde e contribuir para a redução da mortalidade materno-infantil.
Além de trabalhos destinados a recuperar a capacidade instalada de internamento do Hospital Municipal do Cuango, para 120 camas, mais 40 do que actualmente, o projecto também engloba o apetrechamento com equipamentos modernos de diagnóstico. As autoridades estão a desenvolver projectos destinados a  reforçar o sistema de saúde nas zonas rurais com maior aglomeração populacional. 
A rede sanitária vai ser ampliada já nos próximos dias, com a entrada em funcionamento de dois centros médicos com capacidade para 32 camas, sendo um na sede municipal e outro na comuna do Luremo. Ainda na sede municipal, terminaram as obras de construção de um posto de saúde, instalado no bairro Fernando, a cerca de sete quilómetros da vila urbana. Em termos de estrutura, os três empreendimentos estão concluídos, faltando apenas apetrechá-los, e podem entrar em funcionamento ainda este ano.
A chefe da repartição municipal reconhece que a descentralização financeira, no quadro dos Programas de Municipalização dos Serviços de Saúde, está a facilitar a concretização de vários projectos do sector. Nesse âmbito, realçou que a municipalidade passou a dispor de dez unidades sanitárias, mais cinco que antes. Assim, foi aumentada a capacidade de internamento a nível de bairros e aldeias, o que vai reduzir as doenças.
Manuela Manengo defende que, a par do melhoramento das infra-estruturas sanitárias, a administração municipal deve estabelecer mecanismos, em coordenação com as estruturas da província, que visem o reforço de técnicos qualificados, para uma melhor prestação de serviço.
“Estamos a erguer novas infra-estruturas, sendo que o grande desafio tem a ver com a falta de técnicos”, disse, para acrescentar que o município dispõe de seis médicos sul-coreanos e 53 enfermeiros nacionais. Mas, para garantir um serviço mais eficaz, o município precisa de pelo menos 53 técnicos, entre eles médicos pediatras, ortopedistas e cirurgião.
Com vista a facilitar a evacuação de pacientes, a administração municipal adquiriu cinco ambulâncias, que foram distribuídas às unidades sanitárias de referência, além de uma viatura para apoio aos médicos.

Saúde materno-infantil


No âmbito das acções que visam conferir maior qualidade aos cuidados de saúde, Manuela Manengo anunciou o arranque das obras de construção de um centro materno-infantil na sede municipal, ainda este ano.No município está a decorrer um programa de combate à malária, com campanhas de sensibilização e mobilização nas comunidades sobre os cuidados a ter com a doença.
Entre as principais medidas preventivas, destacou a realização de uma campanha anti-vectorial para desinfectar as águas estagnadas, como forma de travar o crescimento do mosquito transmissor da malária.Além do paludismo, a pneumonia e as doenças diarreicas agudas são as patologias mais frequentes no município do Cuango.

Tempo

Multimédia