Províncias

Desactivados milhares de metais

Isidoro Samutulo| Dundo

Mais de 1.800 engenhos explosivos foram desactivados de Janeiro a Agosto, na Lunda-Norte, pela brigada de desminagem, revelou na quarta-feira, no Dundo, o oficial de informação da Comissão Nacional Intersectorial de Desminagem e Assistência Humanitária, Lucas Mendes.

Desminagem das vias oferece maior segurança à circulação de pessoas e mercadorias
Fotografia: Jornal de Angola

Mais de 1.800 engenhos explosivos foram desactivados de Janeiro a Agosto, na Lunda-Norte, pela brigada de desminagem, revelou na quarta-feira, no Dundo, o oficial de informação da Comissão Nacional Intersectorial de Desminagem e Assistência Humanitária, Lucas Mendes.
Dos engenhos explosivos desactivados, destacam-se 21 minas anti-pessoal, cinco minas anti-tanque, 6.755 munições diversas e 19.423 metais não detonados, tendo sido limpa uma área de 3.603.287 metros quadrados, fundamentalmente nos municípios de Chitato, Capenda Camulemba, Xá-Muteba e Cuango.
Os trabalhos de desminagem, segundo o oficial de informação, incidiram também na linha prevista para a montagem do sistema de comunicações de fibra óptica, num percurso de 18 quilómetros, entre a cidade do Dundo e Nzagi.
Lucas Mendes disse que a província da Lunda-Norte não tem, neste momento, campos identificados com minas, mas adiantou que nalgumas zonas, com realce para os municípios de Capenda Camulemba, Xá-Muteba, Cuango e Cuilo, se presume ainda existirem minas, tendo em conta que no passado foram palco de intensas incursões armadas.
Nos municípios de Cuango e Capenda Camulemba, as brigadas de desminagem identificaram e desactivaram, com a ajuda das populações, vários paióis contendo diversos engenhos explosivos não detonados.
Lucas Mendes disse ainda que a comissão provincial de desminagem conta com quatro operadores e três brigadas, compostas por 60 sapadores cada, afectos ao Instituto de Desminagem, do comando das Forças Armadas Angolanas, da Polícia de Guarda Fronteira e da Casa Militar.
O responsável garantiu que a comissão provincial está bem servida de viaturas devidamente equipadas para operações de desminagem e detectores de engenhos, o que tem contribuído para o êxito do trabalho, direccionado fundamentalmente para as vias de comunicação, campos agrícolas e reservas fundiárias a nível da província.
Segundo Lucas Mendes, a Comissão Intersectorial de Desminagem e Assistência Humanitária na Lunda-Norte, sensibilizou, durante o primeiro semestre deste ano, 5.112 pessoas para o perigo de minas e assistiu 81 vítimas, das quais 11 foram encaminhados para o centro de reabilitação física da cidade Luena, na província do Moxico, e 70 assistidas nas respectivas localidades.   

Tempo

Multimédia