Províncias

Desalojados pelas chuvas recebem apoio do Governo

Victorino Matias| Lucapa

As famílias do município do Lucapa que perderam as casas em consequência das fortes chuvas dos meses de Fevereiro e Março receberam do Governo Provincial apoios em bens alimentares e material de construção.

Fotografia: WWW.JAIMAGENS.COM

Cada uma das 138 famílias beneficiou de 25 chapas de zinco, quatro sacos de cimento, sacos de arroz, feijão e fuba de milho, óleo alimentar, caixas de atum e de sardinha, barras de sabão, panelas e peças de roupa.
O governador provincial  da Lunda Norte, Ernesto Muangala, que fez a entrega do donativo, afirmou que os materiais de construção vão ajudar na edificação de novas casas em terrenos indicados pela área de fiscalização da Administração Municipal do Lucapa.
O governador Ernesto Muangala apelou à população no sentido de evitar construções de moradias em zonas consideradas de risco, de forma a acautelar situações de calamidades naturais, provocadas, sobretudo, pelas intensas chuvas que caem na região.
Os mecanismos criados pelas autoridades para que as famílias não enfrentem dificuldades, devido aos danos provocados pelas chuvas, estão a surtir efeitos positivos. O Governo Provincial apoiou até agora famílias de oito municípios, faltando apenas 32 famílias de Capenda Camulemba, que são contempladas nos próximos meses. />Ernesto Muangala agradeceu o gesto dos agentes económicos e da ENDIAMA, por meio da Fundação Brilhante, que se juntaram aos esforços do Governo Provincial para a aquisição de chapas de zinco, roupas, kits de cozinha e cobertores para os sinistrados da província.
A administradora municipal de Lucapa, Isabel Gregório Pascoal, informou que as chuvas dos dias 25 de Fevereiro e 1 de Março destruíram 256 residências, instalações de uma empresa chinesa (encarregue da reabilitação da captação de água do Luangando) e deixaram a circulação intransitável na estrada entre a localidade de Camutué e a sede do município.
As famílias sinistradas são na maioria dos bairros 11 de Novembro, Roque, Veiga e 1º Congresso e estão alojadas em casas arrendadas e de familiares. As construções desordenadas constituem também em grande parte um dos motivos da destruição de residências, porque impedem o curso das águas. Para ultrapassar a situação, é necessário implementar trabalhos de urbanização.

Tempo

Multimédia