Províncias

Diminuem casos de cólera

Isidoro Samutula | Dundo

O coordenador do programa de emergência do Ministério da Saúde garantiu que o surto da cólera no Lucapa, Lunda-Norte está controlado e que, nos últimos dias, se regista uma redução de casos da doença.Essa diminuição, salientou, é fruto do empenho dos técnicos de saúde, que desenvolvem medidas preventivas para controlar totalmente a epidemia.

Lutumba Agostinho garantiu que já não se registam casos de óbitos por cólera
Fotografia: Santos Pedro

O coordenador do programa de emergência do Ministério da Saúde garantiu que o surto da cólera no Lucapa, Lunda-Norte está controlado e que, nos últimos dias, se regista uma redução de casos da doença.Essa diminuição, salientou, é fruto do empenho dos técnicos de saúde, que desenvolvem medidas preventivas para controlar totalmente a epidemia.
Lutumba Agostinho disse que está a ser feito “um grande trabalho” de sensibilização para se manter a situação controlada, que já não há casos de óbitos e apenas quatro pessoas estão internadas. 
O coordenador do programa de emergência referiu que, paralelamente ao trabalho nos hospitais, os técnicos da saúde desenvolvem nas comunidades acções de sensibilização sobre a importância das populações mudarem de comportamentos, passando a utilizar água tratada e a construir latrinas.
Os profissionais da saúde da Lunda – Norte, afirmou, estão a ser preparados sobre a forma de lidar com os casos de cólera para poderem instruir as pessoas sobre a utilização de soro caseiro, que pode evitar que os doentes cheguem às unidades sanitárias em estado de desidratação grave.
O coordenador do programa, Lutumba Agostinho, disse serem precisas mais viaturas para as equipas técnicas poderem deslocar-se às comunidades mais distantes, dez enfermeiros e maior envolvimento de “outros sectores com meios para, rapidamente, todas as comunidades do município estarem sob vigilância epidemiológica”.O vice-governador para o sector político e social considerou satisfatório o trabalho desenvolvido pelas autoridades sanitárias na província e também pediu maior colaboração.

Tempo

Multimédia