Províncias

Direcção da Protecção Civil e Bombeiros pronta para acudir as vítimas das chuvas

João Silva|Dundo

A Comissão de Protecção Civil e Bombeiros da Lunda-Norte, disse, quarta-feira, no Dundo, o seu comandante, está a reforçar meios e equipamentos para se fazer face a situações de calamidades resultantes das constantes e fortes chuvas na região.

Em muitos bairros periféricos da cidade do Dundo existem zonas onde as ravinas ameaçam destruir as casas da população
Fotografia: Benjamim Cândido

A Comissão de Protecção Civil e Bombeiros da Lunda-Norte, disse, quarta-feira, no Dundo, o seu comandante, está a reforçar meios e equipamentos para se fazer face a situações de calamidades resultantes das constantes e fortes chuvas na região.
Justino Catoto revelou que há um programa elaborado, com um plano de necessidades, “enviado às estruturas de direito”, no sentido de se conseguir o reforço em termos de meios logísticos e equipamentos.
A comissão, disse, está a criar condições, com chapas de zinco, produtos alimentares, extintores de incêndios e meios de comunicação intermunicipais, para poder acudir melhor a situações de calamidade nos municípios.
O comandante afirmou que têm sido realizadas campanhas de sensibilização para que se evite construir de forma desordenada, sem observar as questões de arruamentos e em zonas de risco.
Esta semana, os elementos da Comissão Provincial de Protecção Civil e Bombeiros reuniram-se com moradores do bairro Camaquenzo-2, arredores do Dundo, que vivem em locais de risco, pedindo-lhes que abandonem a área para se evitarem problemas.
O comandante Justino Catoto disse que os populares manifestaram o desejo de abandonarem as áreas de risco, mas pediram que sejam criadas condições de habitabilidade que permita estabilidade social às famílias.
O Comando Provincial de Protecção Civil e Bombeiros da Lunda-Norte registou, este ano, 450 ocorrências: 52 incêndios, 375 desabamentos de residências, 13 afogamentos e dez acidentes de viação. Essas ocorrências, segundo  Justino Catoto provocaram 14 mortos, 13 feridos e danos materiais avaliados em mais de seis mil kwanzas. 
Na base das ocorrências, disse o comandante provincial, estão as negligências, curto-circuito, fogo posto, falta de acatamento das normas de prevenção contra incêndios, acidentes de viação, calamidades naturais e inexperiência de natação. O comando provincial de Bombeiros tem 11 brigadas contra incêndios, localizadas na central hidroeléctrica do Luachimo, Angola Telecom, zona comercial do Dundo, unidades hoteleiras e no Instituto de Segurança Social.

Tempo

Multimédia