Províncias

Dois casos suspeitos de paralisia

Isidoro Samutula | Dundo

As autoridades sanitárias da província da Lunda-Norte notificaram dois casos suspeitos de paralisia flácida nos municípios de Chitato e Xá Muteba, revelou no Dundo, o supervisor provincial de vigilância epidemiológica.

A falta de vacinação foi apontada como uma das causas da existência de paralisia
Fotografia: Armando Sapalo

As autoridades sanitárias da província da Lunda-Norte notificaram dois casos suspeitos de paralisia flácida nos municípios de Chitato e Xá Muteba, revelou no Dundo, o supervisor provincial de vigilância epidemiológica.
André Muleleno disse que os casos foram notificados em duas crianças menores de cinco anos nos bairros Satxindongo e Samba, cujas amostras recolhidas já se encontram na capital do país, de onde são enviadas para um laboratório de referência na África do Sul para o diagnostico.
O supervisor provincial frisou que estes são os primeiros casos notificados, o que revela que os vírus estão a circular. “A situação é preocupante, estamos no princípio do ano e já temos dois casos suspeitos de paralisia. Isso é sinal de que os vírus estão a circular na província”, afirmou.
André Muleleno garantiu que para inverter o quadro vai ser intensificado o sistema de vigilância na província. “Há casos que são levados aos quimbandas para o tratamento tradicional, e estes não têm o registo, por isso é necessária vigilância em todos os bairros”.
O supervisor provincial de vigilância epidemiológica apelou à colaboração das autoridades tradicionais, quimbandas e da sociedade civil a denunciarem os casos suspeitos aos agentes de saúde nos municípios, para que sejam tomadas as medidas de precaução e evitar a contaminação de outras crianças. A falta de vacinação contra a poliomielite em algumas crianças foi apontada como uma das causas de existência de casos de paralisia flácida: “é importante vacinar todas as crianças nas campanhas de vacinação para evitar as doenças”, aconselhou o supervisor.
No ano passado, referiu, a província notificou 16 casos suspeitos de paralisia flácida nos municípios de Capenda Camulemba, Chitato, Caungula, Xá Muteba e Cambulo.
Quanto à primeira jornada nacional de vacinação contra a poliomielite que vai decorrer nos dias 2, 3 e 4 de Março, as autoridades sanitárias da província prevêem imunizar 250.083 crianças até aos cinco anos. O supervisor provincial do Programa Alargado de Vacinação, Henrique Salucombo, disse que a logística já se encontra na província e os materiais necessários estão a ser distribuídos em todos os municípios para que no dia marcado a campanha arranque sem sobressaltos. Henrique Salucombo disse que para garantir uma cobertura plena, a campanha vai contar com a participação de 1.917 elementos, entre vacinadores, registadores, supervisores e equipa técnica provincial e municipal.
O supervisor do Programa Alargado de Vacinação referiu que as localidades de Vungula e Quembo, no município de Xá Muteba, Cuilo Velho e Saimbuanda, na comuna de Lóvua, não são abrangidas por serem áreas de difícil acesso e atendendo às chuvas que caem diariamente na província.

Tempo

Multimédia