Províncias

Dundo e vila do Nzagi sem ligação rodoviária

Armando Sapalo | Dundo

A circulação rodoviária ao longo da estrada nacional 180-A, que estabelece a ligação entre a cidade do Dundo, capital da Lunda-Norte, e a vila mineira do Nzagi, município do Cambulo, está interdita, devido a um acidente na ponte de estrutura metálica sobre o rio Chihumbwe.

Os tabuleiros danificados caíram para o rio e o caudal deste não possibilita a sua recuperação
Fotografia: Isidoro Samutula | Edições Novembro |Dundo

O governador provincial, Ernesto Muangala, deslocou-se terça-feira à ponte sobre o rio Chihumbwe, acompanhado de uma equipa técnica, para verificar os danos e encontrar soluções para que o abastecimento de bens essenciais básicos aos munícipes do Cambulo seja feito com segurança.
O vice-governador para os Serviços Técnicos e Infra-estruturas, Lino dos Santos, explicou que, tão logo comecem os trabalhos de remoção da ponte destruída, para permitir a colocação da outra, o tráfego é transferido para a estrada secundária terraplanada, que liga a vila do Nzagi ao município do Lucapa.
“Os trabalhos vão durar de uma semana a dez dias, dependendo da nossa capacidade de intervenção”, disse, para assegurar que a circulação ao longo da via alternativa seja feita sem grandes dificuldades.
O vice-governador justificou que no percurso da referida estrada existe uma empresa diamantífera, que periodicamente efectua obras de manutenção.
Segundo Lino dos Santos, o acidente causado pelo camionista que fazia o percurso Luanda/Vila do Nzagi, com 35 toneladas de mercadoria, provocou a destruição de tabuleiros de estrutura metálica, que asseguravam a ponte sobre o rio Chihumbwe
Esclareceu que os tabuleiros danificados por força do impacto do acidente caíram para o rio e o caudal deste não possibilita a recuperação dos mesmos. Segundo Lino dos Santos, a solução encontrada passa pela desmontagem da ponte de estrutura metálica sobre o rio Chicapa, na estrada nacional 225, para ser colocada no Chihumbwe.
O dirigente pede calma aos automobilistas, uma vez que, para a desmontagem da ponte sobre o rio Chicapa, vão ser necessários equipamentos específicos, como, por exemplo, uma grua. A ponte sobre o rio Chihumbwe, que ficou parcialmente destruída, tinha 38 metros de comprimento e sete de largura.
Bravo Katula, camionista que provocou os danos na ponte sobre o rio Chihumbwe, explicou que o acidente aconteceu quando tentava fugir de uma viatura ligeira, cujo motorista conduzia com excesso de velocidade. Acrescentou que saía de Luanda com destino à vila do Nzagi e transportava 35 toneladas de cerveja, num camião com contentor de 45 pés.

Obras na estrada
A estrada nacional 180-A, com 90 quilómetros, beneficiou de obras de reabilitação, colocação de asfalto e sinalização, mas o projecto inicial não incluiu a construção das pontes sobre os rios Luachimo e Chihumbwe, que se encontram ao longo do seu trajecto, explicou o vice-governador para os Serviços Técnicos e Infraestruturas.
O Ministério da Construção e Obras Públicas, na qualidade de dono da obra, está nesse momento a trabalhar na mobilização de recursos técnicos e financeiros, para a construção de pontes definitivas sobre os rios Luachimo e Chihumbwe, assegurou o vice-governador.
O Jornal de Angola soube que as obras de reabilitação e colocação de asfalto na estrada nacional 180-A tiveram início em Julho de 2015 e ficaram concluídas em finais de 2017. A empreitada foi executada pela construtora Omatapalo. Na altura, a empresa deu garantias sobre a durabilidade da estrada, em função do agregado de rocha que suporta a base do asfalto, o que confere à estrada uma grande capacidade de suporte, tendo em vista a circulação de várias viaturas com mercadorias pesadas.
A estrada tem uma sub-base feita com mistura de solos, que garante condições de longa duração e segurança, aliada a pinturas e sinalizações necessárias numa estrada nacional. Além da reabilitação e colocação de asfalto, foram colocados equipamentos de drenagem, entre os quais valetas revestidas e passagens hidráulicas.
Foram asfaltados nove metros de largura, para duas faixas de rodagem, além de bermas de dois metros de largura, que facilitam o estacionamento e a reparação de viaturas ao longo da estrada e garantem segurança aos peões e motociclistas.

Tempo

Multimédia