Províncias

Energia eléctrica reforçada com mais dez megawatts

Armando Sapalo | Dundo

As constantes restrições que se verificam no fornecimento e distribuição de energia eléctrica aos bairros com grandes aglomerados populacionais da cidade do Dundo, município do Chitato, Lunda-Norte, vão acabar, nos próximos dias, com o reforço de dez megawatts, que se vão juntar aos quinze disponíveis na central térmica local.

Central térmica da cidade do Dundo vai contar com mais grupos geradores de energia
Fotografia: Edições Novembro

A garantia foi dada pelo chefe dos serviços provinciais da Empresa Nacional de Distribuição de Electricidade (ENDE), Felisberto Gomes, assegurando que estão a ser envidados esforços para que, até ao final deste mês, os trabalhos de interligação da rede fiquem concluídos. 

Em declarações à imprensa, à margem do encontro de auscultação entre o governador provincial da Lunda-Norte, Ernesto Muangala, com os moradores do bairro Aeroporto, no Dundo, o responsável da ENDE admitiu que nos últimos meses "têm havido efectivamente muitas restrições no fornecimento de energia eléctrica, deixando às escuras muitos bairros da cidade".
Felisberto Gomes disse que, com a garantia dada pelos gestores da Empresa de Produção de Electricidade (PRODEL) à ENDE sobre a conclusão dos trabalhos de montagem de novos grupos de geradores na central, o problema dos "apagões" em alguns bairros do Dundo fica minimizado.
O responsável máximo da ENDE na Lunda-Norte adiantou que a empresa vai hoje, das 6h00 às 16h00, interromper o fornecimento de energia, para permitir que os técnicos tenham acesso às salas de comando, para conectar os cabos eléctricos.
Felisberto Gomes disse, também, que as obras de requalificação e expansão das redes de baixa e média tensão, feitas há alguns anos na cidade do Dundo e arredores, não tiveram uma co-bertura total. Existem ainda, conforme disse, bairros da cidade do Dundo que carecem de trabalhos profundos, em termos de requalificação e expansão das redes de distribuição de electricidade.
"Com a melhoria da produção de electricidade a partir da central térmica, associada à futura entrada em funcionamento do aproveitamento hidroeléctrico do Luachimo, cujas obras de reabilitação e aumento de potência de 8.4 para 34 megawatts estão em curso, os outros pontos da cidade do Dundo, no município do Chitato, vão ter a cobertura de redes de distribuição", garantiu Felisberto Gomes.

Instalação de geradores

O supervisor da empresa Aggreko, responsável pela montagem de grupo geradores na central térmica do Dundo, Eduardo Sachimbiali, garantiu que, até ao final deste mês, os trabalhos ficam concluídos, tendo explicado que as obras, iniciadas em Novembro do ano passado, registaram um ligeiro atraso, devido às constantes chuvas que se abatem sobre o município do Chitato.
O supervisor da obra referiu que dez dos quinze geradores que vão possibilitar a geração energia eléctrica já foram montados, bem como quatro transformadores.
"As chuvas atrasaram a conclusão dos trabalhos, mas já fizemos quase tudo, pois dez dos quinze geradores e os quatro transformadores estão já montados", afirmou.
A central térmica do Dundo, que funciona desde 2014, foi concebida para produzir 30 megawatts. "A central é assegurada por oito geradores, mas, ultimamente, os equipamentos têm apresentado avarias constantes", disse uma fonte ligada à Prodel, empresa pública de produção de electricidade, incumbida da gestão do empreendimento.
Nesse momento, disse, apenas quatro dos oitos geradores da central que assegura o fornecimento de energia eléctrica à cidade do Dundo e arredores estão em funcionamento.
"A central térmica tem três tanques (depósitos) de combustível, que alimentam os oito geradores.
Cada motor consome 650 litros de gasóleo por hora. "Para um período de trinta dias, são necessários quatro milhões de litros de gasóleo”, disse a fonte que vimos citando.

 

Tempo

Multimédia